Business na ponta dos dedos

Basta uma famosa usar algum esmalte em cena que já vira tendência e, justamente por isso, algumas foram convidadas para terem suas próprias linhas de esmalte.

Por Malu Bonetto

Segundo uma pesquisa pela Kantar Worldpanel, empresa líder mundial em comportamento de consumo através de painéis contínuos que me-dem o hábito real de consumo, o segmento de esmaltes cresceu 39% em volume nos últimos cinco anos, aumentando quatro pontos de pe-netração nos lares brasileiros, sendo que os com maior participação são os cremosos, com 63%, logo em seguida, com 20%, vêm os cintilantes e perolados. Já os transparentes têm menor penetração com 10%. Já entre as cores, os queridinhos continuam sendo os coloridos com 32%, seguido dos esmaltes rosa com 19%, vermelhos com 18% e os menos usais são os marrons com 4% e os alaranjados com 2%. Um dos motivos dessa alta seja, provavelmente, a ligação que algumas marcas estão fazendo com celebridades que possuem um séquito de fãs. Confira algumas famosas que aceitaram vincular sua imagem aos esmaltes.

Flávia Alessandra

“Assim como toda mulher, Flávia acredita que unhas bem esmaltadas fazem parte do cartão-postal”, Marcela Goulart, do departamento de marketing da Mohda Cosméticos

Flávia Alessandra

“Sempre tivemos desejo de ter uma estrela assinando nossos produtos e realizar o desejo delas em ter sua pró-pria linha de esmaltes. Mesmo porque elas são pessoas atentas à moda e sempre que gostam de uma coisa, pre-ferem ter a sua própria linha”, assim Marcela Goulart, do departamento de marketing e desenvolvimento da Mohda Cosméticos, empresa que comercializa a linha FA – Flávia Alessandra, explica como surgiu a parceria entre a marca e a famosa. A parceria que começou no segundo semestre de 2014, hoje conta com três cole-ções, somando 42 itens, sendo uma base e 41 cores, e representa um crescimento de 30% no faturamento da empresa e 25% dos volumes comercializados por ela de todos os tipos de esmalte. “Assim como toda mulher, Flávia acredita que unhas bem esmaltadas fazem parte do cartão-postal. Além disso, ela está sempre ligada à moda e tendências internacionais. Ela faz questão de participar de todas as tomadas de decisões”, diz Marcela.

Claudia Raia

“Claudia escolhe pessoalmente cada nome e cada cor que sua coleção tem, por isso o público a vê em um vidro de esmaltes”, Jan de Oliveira Marques, founder e diretora comercial da Luxor Cosmetic

Claudia Raia

“O projeto de licenciamento é uma forma de marketing, agregação de valores e o que essa personalidade representa ao público. Buscamos sempre mulheres fortes, determinadas e inde-pendentes para agregar a nossa marca. No caso da Claudia Raia, ela representa para milhares de pessoas, é uma estrela de brilho maior, não apenas como profissional, mas como pessoa. É comum quando apresentamos as coleções que levam seu nome ouvirmos de clientes: ela é diva, ela é maravilhosa, eu amo Claudia. Ocorre uma valorização extrema da marca por ter parcerias fortes e isso auxilia muito nas vendas e no branding”, diz Jan de Oliveira Marques, founder e diretora comercial da Luxor Cosmetic, empresa que comercializa a linha.

No entanto, para ter Claudia vinculada à marca, o investimento foi alto. “Também é preciso incluir os gastos com a produção de produtos, posicionamento de marca e produto nas gôndolas de cada mercado… Por isso a análise minuciosa de cada nome que agregamos, pois a partir do momento que assinamos o contrato começa todo um investimento interno em embala-gens, matéria-prima, treinamento de pessoal, visita a campo, bonificações a lojas parceiras para análise de giro de produtos e muito outros. No momento de start do produto, fazemos uma projeção e o faturamento é comum em produto de beleza, o faturamento esperado é que cada linha lucre de R$ 3 a 5 milhões/ano e, no caso da Claudia Raia, a perspectiva de faturamento é de R$ 5 milhões até junho 2016”, complementa Jan. “Hoje a linha da Claudia Raia tem duas co-leções: a Raia Rouge (15 tons de vermelhos) e a Raia Nua (15 tons de nude), e são vendidos aproximadamente 20 mil esmaltes/mês das duas coleções (Raia Rouge e Raia Nua). Mas esse número oscila bastante e pode variar de 350 unidades a 50 mil unidades numa venda a um só cliente”, finaliza.

Caroline Bittencourt

“Ter uma linha licenciada é uma maneira das famosas estarem mais próximas do público e se fixarem como ícones de beleza”, Alessandra Lima, diretora da Bella Brazil

Caroline Bittencourt 

Em setembro deste ano, a empresa Bella Brazil lan-çou uma linha de esmaltes em parceria com a modelo  Caroline Bittencourt. “As marcas enxergam nas famosas  a possibilidade de expandir seus negócios, atingindo uma quantidade maior de pessoas que experimentam o produto por se identificarem com a artista. Fizemos uma grande pesquisa com mulheres ícones de beleza e que mantêm essa imagem intacta ao longo da carreira e também com uma vida pessoal estável. Após alguns meses decidimos pela Caroline, por ser uma mulher lindíssima, de uma simpatia contagiante, que tem milhares de seguidores nas redes sociais”, explica Alessandra Lima, diretora da Bella Brazil empresa que distribui a linha.

O investimento total, incluindo cachê, produção, desen-volvimento, divulgação e outros detalhes ficou em torno de R$ 200 mil, sendo que a empresa espera aumentar seu faturamento em 40% com a parceria e chegar a uma venda de 500 mil unidades por mês da nova linha de produtos. “Eu sempre fui louca por esmaltes e há algum tempo estava procurando uma marca para lançar uma linha em meu nome, pois já tenho uma para cabelos e, quando conheci a Bella Brazil, me encantei. As cores vibrantes, a durabilidade do esmalte e sua qualidade me ganharam. Está sendo um prazer e um sonho realizado. Espero que todas as mulheres se apaixonem pelas cores, assim como eu”, afirma Caroline Bittencourt.

Juliana Paes

“O objetivo é construir uma marca de esmaltes com o nome da artista (…) e não um simples licenciamento que (…) a artista muda conforme sua ‘audiência”, Juliano Carneiro, presidente do Grupo Porto União.

Juliana Paes

Esmaltes que cuidam, restauram e ajudam na prevenção do envelhecimento das unhas, crescimento e fortalecimento, esse era o objetivo da Porto União Participações ao lançar em 2015 a marca de esmaltes Juliana Paes. “Os esmaltes da atriz Juliana Paes têm um conceito diferente de trabalho comparado a outras marcas, pois não é um contrato de licenciamento padrão. Nos vidros dos esmaltes não vem destacado o nome de uma empresa, mas o da artista somente. Existe, sim, uma empresa que organiza, distribui, bem como produz, mas não aparece explicitamente nos vidros”, explica Juliano Carneiro, presidente do Grupo Porto União. Com investimento de mais de R$ 1,5 milhão entre marketing, desenvolvimento, produção, logística, vendas e estoque, a marca ainda não tem um total de vendas já que a parceria ainda não completou um ano, mas já se sabe que foram entregues no mercado 1,5 milhão de unidades. “Como brasileira, adoro ter diferentes tons e trocar toda semana a cor do esmalte. Fizemos um casamento de cores com tons que eu achava incríveis e fi zemos uma miscelânea de criativi-dade para lançar a marca”, diz Juliana Paes sobre a primeira coleção dos esmaltes, que chegou ao mercado em fevereiro deste ano com 30 cores e foi intitulada Como ela, já que traz nos nomes dos esmaltes as características de Juliana (famí-lia, animada, divertida, sensível, etc). Depois de quatro meses, veio a coleção O Eterno Curinga, composta por quatro opções de pretos. O objetivo da marca é ter 60 cores até o fi nal do ano de 2015 e uma linha de cuidados composta por bases fortalecedoras de altíssima tecnologia.