O mundo na cozinha

Azeite português, vinho italiano, manteiga francesa, embutidos espanhóis… O universo da gastronomia, definitivamente, está mais globalizado do que nunca. Com isso, as empresas importadoras enxergam aí um mercado promissor, com muito espaço ainda para crescer no Brasil.

Por: Lela Malzone

Você já parou para pensar quantos produtos importados tem na cozinha de casa? E na dos restaurantes, então? A resposta para ambos os casos é a mesma: inúmeros! Sejam temperos, peixes, carnes ou bebidas, só para citar alguns exemplos, os importados estão cada vez mais presentes no dia a dia dos brasileiros. “O consumidor aprecia produtos importados e é aberto a novidades”, comenta Valéria Nakano Vicente, diretora de importação da Calimp, empresa especializada na importação e distribuição de alimentos perecíveis.

ABERTURA DO MERCADO

O grande boom dos importados no Brasil se deu durante o governo do presidente Fernando Collor de Mello. Tudo começou no dia 9 de maio de 1990, quando ele liberou as importações de automóveis. A alíquota de importação – que começou em 85% – chegou a 35% em junho de 1993, dando espaço para a entrada de carros importados mais baratos, como Honda Civic e Toyota Corolla. Com a implantação do Plano Real e a paridade da nossa moeda com o dólar, as importações ficaram ainda mais atrativas. Mas não foi apenas a indústria automotiva que se beneficiou com a abertura do mercado e a redução gradual das tarifas de importação. Setores de moda, beleza e gastronomia também passaram a trazer para o país produtos a um preço mais competitivo.

Atualmente, as importadoras não encontram um mercado tão favorável quanto antes, mas mesmo assim ele tem crescido continuamente dado interesse dos brasileiros em ter itens diferenciados à mão. “A burocracia dos portos e dos processos, altos custos do transporte in-terno, guerra fiscal entre estados e insegurança jurídica decorrente da guerra fiscal, são algumas das dificuldades que encontramos nessa área”, comenta Luciana Zupo, gerente administrativa da importadora Crista.

Mas mesmo com a complexidade do sistema tributário, a alta do dólar e o excesso de burocracia, esse setor ainda é visto com bons (e esperançosos) olhos pelos seus players. A importadora La Pastina, que tem 71 anos de história, es° ma um crescimento de 10% este ano. “A gastronomia, assim como outros elementos sociais e culturais, é bastante globalizada. Com essa ótica, os produtos importados sempre terão es-paço na gastronomia brasileira”, diz Luciano Almandary, CEO da Allfood, que atua no mercado desde 1996. E o que diz respeito ao mercado de vinhos, em específico, a cena é ainda mais positiva. “Acreditamos muito no mercado do vinho, pois o número de consumidores vem crescendo, assim como a procura pelo conhecimento mais profundo e também os eventos em torno do mercado do vinho vêm ocorrendo sequencialmente. Isso não é promessa, é realidade e denota o real crescimento desse mercado”, relata Acácio Ferreira, diretor comercial da Caves Santa Cruz, importadora fundada em 2012 pelo imigrante português Ramiro Cruz.

Entre os itens mais procurados no setor de importados, principalmente entre as classes AA e AB – público-alvo do setor –, estão os vinhos, as massas, os queijos e os frios. Mas há uma infinidade de produtos além desses que chegam ao país vindos dos quatro cantos do mundo. Confira a seguir quais as empresas importadoras e lojas especializadas nesse tipo de produto estão se destacando no setor:

ALLFOOD

Com mais de 50 parceiros de renomadas marcas de queijos, frios, produtos saudáveis e mercearia, a Allfood possui mais de 200 itens no catálogo importados. Eles possuem uma unidade industrial, onde queijos e frios são fracionados, dentro de um rigoroso controle de qualidade. As marcas Vito Balducci, Casa Basca, Käs Club, Figueiras, Monastère e D’or são próprias/exclusivas da empresa. Desde 2017, fazem parte do Grupo Granarolo, uma das maiores empresas dos setores de lácteos e de alimentos na Itália, e também trazem as novidades da empresa para o país.

www.allfood.com.br

BANCA DO RAMON

Uma das pioneiras do Mercadão, foi aberta ao público em 1933. Oferecem mais de 6 mil itens, dos mais variados tipos e procedências, com qualidade reconhecida, nacionais e importados. Entre eles, bacalhau de todos os tipos, azeitonas de todos os tamanhos e cores, azeites de várias nacionalidades, massas, laticínios embutidos, cereais, latarias, temperos, conservas alimentícias, féculas, chocolates, entre outros. Vendem no atacado e no varejo.

www.bancadoramon.com.br

CALIMP

Empresa especializada na importação e distribuição de alimentos perecíveis. Em seu portfólio encontram-se queijos alemães da Bergader; massas frescas italianas da Rana; queijos e fondues suíços da Emmi; queijos franceses da Isigny e da Soignon; queijos italianos da Latteria Soresina, Pinna e da Monti Trentini; presuntos espanhóis da El Pozo; embutidos espanhóis da Casaponsa; frios italianos da Citterio, Negrini e Vitalli; cheddar inglês da Joseph Heler; embutidos portugueses da Primor e queijo português Serra da Estrela da Antônio Anastácio.

www.calimp.com.br

EMPORIUM DINIS

Oferece produtos importados de alta qualidade, criteriosamente selecionados pela equipe de profissionais da empresa. Possuem uma adega com mais de 1000 rótulos de vinhos de regiões e produtores consagrados, extensa variedade de bebidas, itens de mercearia fina de diversos países, setor de salumeria e queijos importados, além de um espaço destinado aos utensílios de cozinha e de coquetelaria.

www.emporiumdinis.com.br

INTERFOOD

Atende todo o território brasileiro pelos mais relevantes e diversos canais de distribuição, com muitas das principais marcas do mercado global de bebidas alcoólicas, como Tattinger, Marqués de Riscal, Louis XIII, Vedette Brewdog. Os produtos originam-se dos principais centros produtores de bebidas alcoólicas, como Chile, Argentina, Uruguai, Brasil, África do Sul, Austrália, Nova Zelândia, Itália, Bélgica, Portugal, Alemanha, França, Holanda, Inglaterra, Espanha, Estados Unidos, Rússia, Hungria, Escócia, Grécia, Líbano e República Checa.

www.interfood.com.br

ARMAZÉM SANTA FILOMENA

Há anos na zona cerealista, próximo ao Mercado Municipal de São Paulo, eles comercializam produtos naturais e integrais, temperos, especiarias, condimentos e produtos derivados da soja. Também oferecem uma variada gama de queijos, manteigas, embutidos e vinhos provenientes de diversos países.

www.armazemsantafilomena.com.br

LA PASTINA

Oferece cerca de 3.700 itens, entre alimentos e vinhos importados de 16 países pela La Pastina e World Wine, além de produtos de marca própria. Seus produtos estão presentes em mais de 3 mil pontos de venda, espalhados pelo Brasil. Entre os produtos campeões de venda, estão o Spaghetti, o Penne e o Fetuccine da marca Divella; além do Pomodori Pelati da Passata e do Arroz Arbório La Pastina. Entre os vinhos mais vendidos, estão o lambrusco Cella, os rótulos da vinícola Emiliana, Cono Sur e a linha francesa J.P. Chenet.

www.lapastina.com

CRISTA

Tem um amplo portfólio de óleos, bases para frituras, margarina vegetal, além de óleos de soja, girassol e canola, azeite extravirgem e óleo composto em embalagens para o varejo. Entre eles, vale destacar o Azeite Extra Virgem Cristina, envasado na região de Kalamata, uma das mais antigas da Grécia.

www.cristamargarina.com.br

BRUCK

Empresa de importação e comércio de bebidas fundada, em, 1937, pelo alemão Frederico Bruck, mas que atualmente pertence à família Furlan. Os vinhos das marcas Corvo e Valdorella são alguns dos produtos importados com exclusividade por eles.

www.bruck.com.br

CAVES SANTA CRUZ

Importadora e distribuidora de vinhos, azeites e alimentos. No portfólio de vinhos, já soma mais de 150 rótulos provenientes de Portugal, Espanha, França, Itália, Argentina e Chile. Alguns dos destaques são o Invisível, da vinícola portuguesa Ervideira, do Alentejo, e o também português Pacheca Grande Reserva Touriga Nacional D.O.C., da região do Douro.

www.cavessantacruz.com.br