Mondrian em São Paulo

Vestido Yves Saint Laurent inspirado em Mondrian.

Vestido Yves Saint Laurent inspirado no artista.

É difícil não associar imediatamente o nome do pintor holandês Piet Mondrian aos famosos retângulos de cores primárias delimitados por retas pretas.

Por Marcela Cataldi
Fotos: Divulgação

Na moda, por exemplo, o estilista Yves Saint Laurent imortalizou a série de quadros mais conhecida de Mondrian em um vestido de jérsei na década de 1960.E, claro, o sucesso foi tanto que as releituras não pararam por aí e são hits até os dias de hoje na moda, no design e na decoração.

Mas a ideia da exposição Mondrian e o Movimento Stijl, que acontece no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo, é de mostrar ao público justamente que Mondrian não se resume apenas a série de quadros Composição, sua obra mais famosa. A mostra revela as diversas experimentações artísticas de Mondrian 30 anos antes do seu boom. Ele passou pelo naturalismo, pós-impressionismo e simbolismo até chegar a abstração artística.

“Organizamos tudo para que o visitante possa acompanhar esse percurso e entender que aqueles retângulos coloridos que povoam até hoje o imaginário do moderno, e são tão facilmente reconhecíveis, não nasceram de uma hora para outra, nem por acaso”, explica Pieter Tjabbes, o curador da exposição.

Obra Galinhas no Pátio da Fazenda, do começo da carreira de Mondrian.

Obra Galinhas no Pátio da Fazenda, do começo da carreira de Mondrian.

Além da interessante trajetória do pintor, o visitante da mostra verá uma segunda parte da exposição dedicada ao movimento Stijl (que significa Estilo, em português).

O movimento recebeu esse nome porque era o título de uma publicação dos países baixos eleita por um grupo de artistas, designers e arquitetos, incluindo Mondrian, para divulgar o neoplasticismo e a utopia da harmonia universal das cores.  Assim, será possível reconhecer traços e ideias do auge da carreira de Mondrian em outros artistas do movimento.

Uma experiência única em São Paulo, no CCBB, o Centro Cultural Banco do Brasil, já que a maior parte das obras é do acervo do museu municipal de Haia (Gemeentemuseum Den Haag), na Holanda, que possui a maior coleção mundial de obras de Mondrian. A exposição vai até o dia 24 de abril em São Paulo e, depois, segue para Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

CCBB SÃO PAULO Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo
R.  Álvares Penteado, 112 – Centro – São Paulo
Tel.:  (11) 3113-3651/3652 | Quarta à segunda, das 9h às 21 horas.

Decoração de Vilmos Huszár e Piet Klaarhamer com as famosas cores e formas de Mondrian.

Decoração de Vilmos Huszár e Piet Klaarhamer com as famosas cores e formas de Mondrian.