Os luxos de Maria

Luxos de Maria - Go'Where Luxo

Após 10 anos longe do Brasil, a atriz portuguesa Maria João Bastos está de volta às telinhas, onde vive a personagem Diana, na novela Boogie Oogie, da Rede Globo.
Linda, sensual e superantenada com moda, Maria fala a Go Where sobre a felicidade do seu retorno e de seus maiores luxos!

Por Lilian Anazetti Pimentel

Luxos de Maria - Go'Where Luxo

O entusiasmo de voltar ao Brasil está estampado no rosto da bela atriz portuguesa Maria João Bastos, que fez grande sucesso por aqui há dez anos, quando atuou nas novelas O Clone (2002) e Sabor da Paixão (2003). Seus traços perfeitos e a competência profissional levaram Rui Vilhena, o autor da nova novela das 6, Boogie Oogie, a convidá-la para a trama. “Foi um regresso muito feliz! Mais uma vez fui muito bem recebida no Brasil e na Globo. O texto de Rui a empolga: “A forma como ele conta uma história, cruza as cenas e personagens é muito interessante. Ele consegue criar expectativa no telespectador. E para nós, atores, o mais importante, sem dúvida, é o texto. Essa é a nossa primeira ferramenta de trabalho. Quando o texto é bom, o ator está nas nuvens”, elogia a atriz. E ela está nas nuvens também por ter tido a oportunidade de voltar ao país. “O meu caso com o Brasil foi amor à primeira vista e aconteceu quando vim pela primeira vez para o Rio começar a gravar a minha primeira novela na Globo, O Clone.

Desde o primeiro momento, senti uma grande identificação e fui tão bem recebida e tão acarinhada que rapidamente me senti em casa. Adoro a energia do Rio, sua beleza natural! Gosto do clima, do jeito solto e livre do carioca e dessa vontade intensa que eles têm de viver. Meu lugar favorito lá é a Lagoa Rodrigo de Freitas”. Enquanto esteve distante do Brasil, a atriz também se dedicou ao cinema e acaba de estrear, ao lado de John Malkovich, no festival de Cinema de San Sebastian, na Espanha, com o filme Variações de Casanova, que tem lançamento previsto para dezembro.

“É maravilhoso ver o nosso trabalho e o nosso filme nos mais conceituados festivais de cinema do mundo”, diz Maria, que nos últimos anos também esteve envolvida em outros projetos, como o de cantora. A oportunidade surgiu devido ao grande sucesso de uma personagem que ela viveu na novela portuguesa Destinos Cruzados, em que cantava. Ela acabou gravando um CD com as músicas da novela e ficou em primeiro lugar nas rádios portuguesas.

 

Qual a principal diferença entre fazer TV no Brasil e na Europa?

A Globo é uma das maiores produtoras de televisão e seus produtos são exportados para todo o mundo, o que possibilita que nosso trabalho chegue a diferentes públicos e mercados. Isso é ótimo para a visibilidade do trabalho. Em Portugal, temos um mercado menor, mas temos desenvolvido ótimos trabalhos e a televisão portuguesa, nomeadamente na ficção, tem evoluído bastante.

 

“Eu gosto de elegância e isso para mim não é exatamente seguir a moda, mas
conhecê-la e saber usá-la para criar um estilo próprio.
Como dizia Coco Chanel “a moda sai de moda, o estilo jamais.”

 

Qual a importância da moda na sua vida?

A moda sempre fez parte da minha vida desde muito cedo, quando acompanhava minha mãe, que tinha uma loja de moda feminina, aos desfiles para a escolha das coleções. Mais tarde acabei por trabalhar como modelo durante seis anos e esse meu fascínio acabou por se aprimorar. Mas desde cedo, sempre tive muito sentido de estética e beleza. Sempre apreciei a moda como uma arte que nos serve de inspiração, porque o que realmente me fascina é o estilo que cada pessoa encontra na sua identificação. Eu gosto de elegância e isso para mim não é exatamente seguir a moda, mas conhecê-la e saber usá-la para criar um estilo próprio. Como dizia Coco Chanel “a moda sai de moda, o estilo jamais.”