A Águas Prata completa 100 anos mantendo qualidade líquida e certa

O universo brasileiro das águas minerais vive um marco histórico: Águas Prata está celebrando 140 anos – em 1876, no município de Águas da Prata, a 818 metros de altitude, num sopé da Serra da Mantiqueira, foi descoberta a mina de onde, até hoje, se extrai uma das águas mais puras e mais saudáveis do mundo.

Por: Celso Arnaldo Araujo

O distrito de Águas da Prata só seria fundado exatamente 50 anos mais tarde – mas as águas daquela mina sempre foram o epicentro econômico e turístico daquela cidade paulista, começando por seu próprio nome. Mas o dia 12 de abril de 1989 marca uma nova era na crônica centenária das Águas Prata – que, nessa data, passa a ser administrada pelo Conglomerado Alfa, grupo detentor de um grande portfólio de marcas e empresas, incluindo banco, financeira, corretora, os hotéis Transamérica e, na área de alimentação, a Agropalma, fabricante de óleo de palma, e os sorvetes La Basque. Como uma das joias da coroa do Conglomerado, as Águas Prata passaram a receber dos dirigentes do Alfa os cuidados de produção e de mercado exclusivos das grandes grifes. Entre muitos aprimoramentos, novas garrafas PET substituíram as antigas garrafas de PVC em 2001. E, em 2015, Águas Prata adquire sua segunda linha de produção, aumentando sua capacidade produtiva a fim de levar a melhor água mineral para mais regiões do País. Nesse meio tempo, a marca lança sua Linha de Sabores, com os refrigerantes Citrus e Tônica e, em seguida, Guaraná Prata, com embalagem PET de um litro.

Mas é claro que as águas são a maior referência da marca. Produtos 100% naturais, com a mesma pureza de suas origens, as águas passaram a ser exploradas de maneira sustentável, preservando permanentemente os mananciais e o meio ambiente. Hoje, após o processo de captação para o envase, a água segue por tubulações hidráulicas de aço inoxidável, garantindo a preservação do produto de forma integral – ao utilizar modernos equipamentos para envase da água.

RECEITAS DE PUREZA E SAÚDE

O sucesso das estâncias balneárias brasileiras é uma prova do poder das águas minerais – até hoje identificadas como eficiente terapêutica para o bem-estar humano, nas estâncias hidrominerais. Em 1974, um artigo do Dr. Benedictus Mário Mourão na Revista Brasileira de Medicina, intitulado “O futuro balneário de Águas da Prata”, faz um balanço do potencial medicinal das águas – e a vocação da cidade para explorar o potencial turístico desse produto local, para “dias de cura ou de férias”. O Dr. Mourão elenca uma série de “indicações terapêuticas da medicação oligomineral e da medicação radioativa”, referindo-se à antiga terminologia das águas minerais. “As águas são essencialmente diuréticas, eliminando-se rapidamente com remoção de edemas e escórias, o que se torna benéfico nos distúrbios de ácido úrico (gota), calculoses e nefrites, bem como nas inflamações dos rins e bexiga, insuficiência hepática, estados de estafa e nos alérgicos”. Não à toa, as fontes das Águas Prata foram comparadas pelo Dr. Mourão e outros especialistas com as da célebre estância francesa Vichy, de fama internacional.

Composição das Águas Prata


Águas Prata com gás Vidro 300 ml retornável

Composição Química (mg/L)
Bário – 0,155
Estrôncio – 0,212
Cálcio – 15,300
Magnésio – 7,150
Potássio – 3,780
Sódio – 7,610
Fosfato – 0,25
Sulfato – 6,88
Bicarbonato – 91,29
Fluoreto – 0,56
Nitrato – 3,37
Cloreto – 2,06
Brometo – 0,01
PH – 6,72

Águas Prata natural Vidro 510ml
Composição Química (mg/L)
Bário – 0,060
Estrôncio – 0,141
Cálcio – 11,700
Magnésio – 5,390
Potássio – 3,520
Sódio – 2,900
Sulfato – 3,88
Bicarbonato – 68,00
Fluoreto – 0,27
Nitrato – 1,30
Cloreto – 0,61
PH – 6,42