Paulo Latarullo: o chef alto astral

Escultor, designer, artista plástico e chef autodidata, ufa! Assim é Paulo Latarullo, um cozinheiro que começou na onda do Slow Food e hoje comanda vários projetos.

Por: Shirley Legnani

Tudo começou ainda na adolescência, onde fazia lanches e sucos naturais que ele mesmo produzia para vender, do apartamento onde morava. Desde então, Paulo Latarullo realizou projetos que ele mesmo intitula de “bacanas” dentro da gastronomia. Artista plástico de formação, o descendente de italianos é pura energia. Dono de uma galeria de arte no centro de São Paulo, o chef já trabalhou em vários restaurantes até abrir seu próprio, anos atrás, na Serra da Cantareira. “Minha proposta era de um restaurante slow food, mas, na verdade, o restaurante era a minha casa, um espaço grande na Serra da Cantareira, onde coloquei 25 lugares e que tinha reserva o ano todo. Foi um sucesso sempre”, diz o chef.

cozinha1Com uma gastronomia contemporânea, Latarullo já apresentou um programa de culinária na TV e viajou muito atrás de novidades. Sua inspiração para a cozinha é o mar e a sustentabilidade. “Sou artista, para mim tudo é reutilizado, não há desperdício, as coisas devem ser usadas e transformadas conscientemente”. O chef lembra um divertido episódio: “Estava indo jantar com a minha esposa para comemorar cinco anos de casados, e no caminho acabei vendo um sofá no lixo e fiquei maluco. Quis pegar na hora, pois já o imaginei todo restaurado, e não tive dúvidas: parei e levei”, relembra, rindo. A esposa, uma bem-sucedida executiva do mundo digital, nem ligou, pois conhece o marido.

O sofá, garante o chef, virou uma obra de arte. Com certeza, bela e chamativa, como os vários objetos de decoração do atual restaurante de Latarullo, o El Santíssimo Lounge Bar, na Vila Madalena. Lá, vários quadros feitos pelo chef enfeitam os salões.

Descolado, o El Santíssimo tem um inusitado bar de ostras nas quais o cozinheiro injeta algumas bebidas, como o whisky Jack Daniel´s – criação exclusiva da casa e um dos grandes atrativos do agradável espaço.

No menu, destaque para receitas com peixes e frutos do mar – especialidade do chef. Aliás, as paellas por ele preparadas são sucesso nos eventos que promove, tanto corporativos, como sociais. “Adoro fazer esses eventos, a paella acaba sendo a atração principal de um verdadeiro show gastronômico”, explica.

Menos é mais

“Meus temperos são: alho, cebola, sal e limão”, diz o chef, ao ser perguntado como define sua cozinha. Sem seguir receitas à risca, Latarullo gosta de inventar na hora e garante que tudo dá certo e que os clientes nunca reclamaram de um prato sequer. “Gosto de surpreender os clientes, amo ficar na cozinha, mas também gosto de estar no salão, de conversar com os clientes, de entender o que querem, isso faz parte do trabalho de um cozinheiro”.

Novos projetos

Ao lado do imóvel do El Santíssimo, o chef-artista se prepara para abrir uma galeria de arte e uma hamburgueria. “Sempre sonhei com esse imóvel na Vila Madalena. Comecei aqui dando consultoria para duas sócias e acabei ficando com a casa, o que me deixa muito feliz”, conta. Com planos de abrir uma galeria de arte em Miami, o chef acredita que dá para se fazer tudo e se dedicar com afinco às coisas, quando se faz o que gosta. “Sou da paz, a cozinha tem que ser um lugar prazeroso. Você pode ser exigente com a equipe, mas não carrasco. Acredito num trabalho em equipe, numa cozinha trabalhando em harmonia”.


El Santíssimo Lounge Bar
R. Girassol, 451 – Vila Madalena. Tel.: (11) 3034-3064