Jovens campeões da gastronomia levantam voo

Grandes vencedores do IV Concurso Go’ Where de Jovens Talentos da Gastronomia, André Trabulsi Sadi e Guilherme Jun Ariê, representando a faculdade Anhembi Morumbi, entraram em 2017 com novos desafios profissionais – impulsionados pelo prêmio. André – que também é farmacêutico – está abrindo uma empresa para comercializar sanduíches especiais. Jun foi contratado pelo primeiro hotel sete estrelas do país – o Palácio Tangará, no Parque Burle Marx, em São Paulo. Eles vão longe.

Por: Celso Arnaldo Araujo

A Accademia Gastronomica, escola de alto prestigio em Moema, foi o palco da final. O júri de cinco chefs consagrados – Roberto Ravioli, Guga Rocha, Cássio Prados, Marcelo Laskani e Elia Seganti – provou entrada, prato principal e sobremesa das cinco duplas finalistas, sob o tema Cozinha Brasileira Saudável. A disputa foi acirradíssima, garfo a garfo, mas o trio de receitas de André e Jun chegou na frente das demais: Creme de milho com leite de castanha-do-Pará e espetinho grelhado, Tulipa de frango caipira com arroz vermelho e Bolo de Bagaço de castanha-do-Pará, purê de cenoura caramelizada, mousse de coco e abacaxi.

A dupla comemorou muito a vitória– que, para ambos, representou um selo de qualidade para o curso de Gastronomia que eles concluíam naquele segundo semestre de 2016. “Foi uma sensação de missão cumprida”, resume André Sadi, 27. “Uma chave de ouro para nossa facul-dade”. Com uma inclinação por comida árabe mediterrânea, ele preparou uma série de receitas de sanduíches para a empresa Kamzu Cookie Shop, até aqui especializa-da em cookies e brownies. Nessa nova linha, os sanduíches terão a assinatura de André – um deles é de homus. E, para vendê-los, André terá sua própria empresa – a Jolly Rogers. Assim começam as grandes carreiras no mercado de gastronomia. Mas, é claro, ele planeja também chefiar uma cozinha – se possível, em seu próprio restaurante. Por ora, a profissão de farmacêutico, exercida numa empresa do setor, é seu principal ganha-pão. Mas a virada está por vir.

Já Guilherme Jun, 24, que cozinha desde os 12, estudou Engenharia Elétrica – mas a engenharia dos ingredientes e do fogão capturou-o muito cedo. Já fez estágios em restaurantes paulistanos e também na França, onde passou uma temporada no Les Crayeres, duas estrelas Michelin. De volta a São Paulo, trabalhou no Bilboquet, com o chef Julien Mercier – que, impressionado com seu trabalho, indicou-o a seu conterrâneo, o premiado chef francês Jean-Georges Vongerichten, que vai comandar a culinária no novo Palácio Tangará – o primeiro hotel sete estrelas do Brasil, prestes a ser inaugurado. Jun – que é adepto da comida contemporânea – será auxiliar de cozinha no portentoso hotel, uma experiência que será invejável para a sequência de carreira de um jovem e já premiado cozinheiro.