Listamos as 100 delícias da gastronomia paulistana

1. Rodeio – Picanha fatiada

O carro-chefe dessa churrascaria pioneira e hoje cheia de classe, aberta no Jardins em 1958, é um portentoso naco dessa que é a carne favorita dos brasileiros, em porções para uma (R$ 164) e duas pessoas (R$ 280) que dão para duas e três, respectivamente, fatiada à mesa e finalizada num réchaud diante dos clientes. Acompanhamentos clássicos: Palmito assado (R$ 65) e Arroz Rodeio (R$ 58).

Rua Haddock Lobo, 1.498, Jardins Tel.: 3474-1333/ 3083-2322

2. Bolinha – Feijoada

Num restaurante dos anos 1950 que é sinônimo do prato mais famoso da culinária brasileira, a feijoada é a estrela diária da casa – não apenas das quartas e sábados, como de costume. Com 10 tipos de carne e oito acompanhamentos, e servida em cumbuca, como nos velhos tempos, agora tem a opção de ser pedida por porção – não por pessoa, como até aqui – de terça a sexta, exceto feriados, de R$ 75 (uma pessoa) a R$ 125 (duas). Nos fins de semana e feriados, permanece o sistema rodízio – a R$ 125 por pessoa. Nos demais dias, também há a opção do rodízio – por R$ 99.

Avenida Cidade Jardim, 53 – Tel.: 3061-2010.

3. Jardim de Napoli – Polpettone

Fundada em 1949, a Cantina Jardim de Napoli continua sendo um dos programas gastronômicos obrigatórios da cidade. E 70% dos pedidos incluem o seu mágico Polpettone alla parmegiana bolo de carne recheado de queijo mussarela, empanado, frito no tacho, mergulhado em molho de tomate e depois gratinado com parmesão (R$ 66). O proprietário e inventor da receita, Toninho Buonerba, orgulha-se de produzir em média de 400 unidades por dia.

R. Martinico Prado, 463 – Vila Buarque Telefone: (11) 3666-3022

4. Cantina Roperto – Perna de cabrito

Quando Caetano Roperto se mudou para o Brasil, atrás de um grande amor, o calendário marcava o ano de 1886 e a perna de cabrito era só mais um dos repastos tipicamente italianos de domingo. A cantina aberta por ele teve três endereços no centro da cidade. Em 1942, seu sobrinho Humberto Roperto comprou um restaurante no bairro do Bixiga e batizou a casa com o nome atual. Quatro gerações cresceram comendo e trabalhando na cantina, que sempre manteve o tempero “da nonna” em pratos como a Perna de Cabrito, seu carro-chefe: perna traseira do cabrito assada em fogo baixo por cerca de cinco horas e servida com batatas ao forno e brócolis a alho e óleo.

R. Treze de Maio, 634 Bela Vista – Tel.: (11) 3288-2573

5. Ca´D´Oro – Bollito misto

Durante pelo menos 40 anos, o restaurante do estrelado hotel Ca´D´Oro da família Guzzoni, foi um dos mais elegantes de São Paulo – e sua melhor imagem gastronômica associada a um carrinho que desfilava pelo salão carregando os componentes da estrela de seu menu da alta cozinha piemontesa: o Gran Bollito misto. Cotechino, zampone, picanha, frango, tender, língua, além de cenoura, batata, repolho, com os molhos verde, raiz forte e mostarda de Cremona, esse cozido do Ca´D´Oro fez história. Para gáudio de seus fãs, o Bollito – que deixou de ser servido por sete anos, período em que o velho hotel foi demolido e reconstruído, no mesmo local – está de volta no novo Ca´d´Oro, a R$ 85.

Rua Augusta, 129 Telefone: (11) 3236-4300

6. Marcel – Suflê

O chef Raphael Durand Despirite segue a tradição de cozinha francesa iniciada por seu avô, o chef e confeiteiro Jean Durand, que em 1969 comprou o Marcel, fundado em 1955 – atraindo paulistanos de toda a cidade para a região central. Autêntica cozinha de bistrot, o Marcel fez fama mesmo com seus inigualáveis suflês – arte de avô para neto. Diversas opções, do clássico Gruyére (R$ 42 o pequeno) ao Soufflé de Bacalhau Renversé (R$ 92), passando pelo Maison (camarões salteados e queijo Gruyère, a R$69/83).

Rua da Consolação, 3555 Tel.: (11) 3064-3089

7. Don Curro à La Sabrina – Paella

Criada em 1958 por Francisco Rios Dominguez, que era o toureiro Don Curro na Andaluzia, antes de virar restaurateur no Brasil, junto com sua mulher Carmen, a casa espanhola de Pinheiros ficou no mesmo ponto quase 60 anos. Agora em novo local, no Jardins, a casa é comandada por Sabrina Rios Oliveira, neta de Don Curro. A paella continua obrigatória como sempre.

Rua Oscar Freire, 439 – Jardins Tel.: 3060-8533

8. Sensi – Gnocchi di Zucca

Quando o chef Manuel Coelho decidiu colocar no cardápio do Sensi sua receita de Gnocchi di Zucca não imaginou que faria tamanho sucesso entre os clientes. O prato (nhoque de abóbora, fonduta de queijo taleggio trufado e farofa de funghi porcini) é típico de Friuli, região nordeste italiana e constava apenas como sugestão mensal. Agora entrou de vez no menu fixo à la carte. “A abóbora adocicada combina muito bem com a acidez do queijo taleggio e o crocante dessa farofa de funghi porcini vem para equilibrar as texturas do prato”, explica o chef. O taleggio é um queijo cremoso e picante que dá um toque especial ao prato – atração do menu de inverno do Sensi.

R. Gabrielle D’Anunzio, 1345 Tel. 2478-5099

9. Dona Carmela – Raviolli ao Tartufo Nero

Localizado em Santana, o Dona Carmela foi fundado em 2002 como uma homenagem à matriarca da família, privilegiando os sabores da culinária italiana, embora ostente um cardápio bem variado. Criações requintadas de sabor marcante, como o Raviolli recheado com creme de trufas negras e queijo provola ao molho branco, com crisps de presunto de Parma, são pedidas que encantam desde a apresentação.

R. Doutor César, 944 – Santana – Tel.: (11) 2283-2458 / (11) 2971-1211

10. Josephine – Cappeletti in Brodo

Uma ampla varanda com teto de vidro embeleza a esquina e acomoda quem chega ao restaurante Josephine para provar pratos contemporâneos assinados pelos chefs Cícero Gomes e Igor Gonçalves. No cardápio desde a abertura da casa, a clássica receita do Capelletti in Brodo, muito popular especialmente no norte da Itália, traz a massa recheada em formato de chapeuzinho (o capelletti) num saboroso caldo, com o queijo parmesão dando o toque salgado que o prato pede.

R. Jacques Félix, 253 – Tel. 3842-5891

11. La Pergoletta – Fettuccine Nero, Gamberi e Rucola

O sucesso do chef Elia Seganti, que há quase 30 anos chegou da Itália, instalando-se na zona norte de São Paulo, começou com uma pequena rosticceria. Em 2012, abriu no Tatuapé uma pequena fábrica de massas. De lá para a bem-sucedida cantina La Pergoletta foi uma exigência natural dos clientes. Tudo ali tem produção própria: pães, massas, biscoitos, molhos, sobremesas, sardela, alichela, patê de azeitonas, pão de calabreza, pão toscano, torradas de alho e o biscoito do café. Entre as massas, muitos destaques – como este Fetuccine com tinta de lula, camarões salteados com alho e azeite. Italianíssimo.

Unidade Tatuapé: Rua Itapura, 1478 – Tel.: 2092.3330

12. Zucco – Ravioli di taleggio e fichi

Massa recheada com queijo Tallegio D.O.P. e figos confitados, sobre creme de pistache e presunto cru, esse Ravioli é uma das especialidades do chef José Meirelles, que tem no Tallegio seu queijo mais desafiador. “Desde que iniciei na gastronomia, ele me chama a atenção.E gosto muito de pistache também”. A combinação é muito feliz (R$ 72).

Rua Haddock Lobo, 1416 – Tel.: 3897-0666

13. Pasta D’Autori – Espaguete ao grana padano

Com o compromisso de oferecer massas artesanais sempre frescas, o restaurante funciona de segunda a sábado no horário do almoço e atrai um público exigente, que atesta a qualidade de pratos como o restaurante funciona de segunda a sábado no horário do almoço e atrai um público exigente, que atesta a qualidade de pratos como o Espaguete ao grana padano, um clássico da cozinha italiana, finalizado com um ritual inebriante, que acontece na mesa, diante d o cliente, dentro de uma forma de queijo parmesão.

R. Professor Atílio Innocenti, 743 – Vila Nova Conceição – Tel.: (11) 2338 5000

14. Viareggio Ristorante – Ravioli di bufala

As receitas tradicionais italianas são a alma do cardápio. Além de carnes, peixes, risotos e pizzas, massas bem servidas e de apresentação irresistível, como o Ravioli de massa verde recheado com mussarela de búfala ao molho de tomates frescos, manjericão e azeite fazem sucesso. Para harmonizar com cada opção, a casa oferece uma variada carta de vinhos de países como Chile, Espanha e Itália, complementando com elegância a experiência gustativa.

R. Fernandes Moreira, 1244 – Chácara Santo Antonio – Tel.: (11) 5181-2196

15. Dell’Arte – Raviolli de mozzarella de búfala ao pomodoro e basilico

Com um menu inspirado na culinária tradicional do norte da Itália,  Dell’Arte Ristorante produz as massas, bases de seus pratos, de modo artesanal, na pequena massaria que fica em sua cozinha. É de lá que saem verdadeiras obras de arte, como o Ravioli de mozzarella de búfala, coberto com molho de tomates frescos e manjericão.

Av. Jamaris, 100 – Moema – Tel: (11) 5054 0046 / (11) 5053 3632

16. Italy – Pici

Fazendo jus ao nome, o restaurante apresenta uma gastronomia italiana despretensiosa, mas muito bem servida, com releituras modernas de receitas clássicas. As massas frescas do chef David Kasparian são de encher os olhos. O Pici é uma massa típica da Toscana, que não leva ovos, preparada no Italy ao molho sugo de linguiça, cogumelos e o inconfundível queijo grana padano.

R. Oscar Freire, 450 – Jardins – Tel.: 3168 0833

17. Lo Spaghetto – Fetucine verde com filé ao molho de espinafre

Sob o comando do restaurateur Giovanni Santoro, o Ristorante Lo Spaghetto oferece uma variedade de massas e molhos, que podem ser combinados conforme o gosto do cliente. Há 22 anos, a casa preza a qualidade e frescor dos ingredientes, atributos que atraem milhares de pessoas todas as semanas. O Fetuccine de espinafre na manteiga, servido com filé à milanesa gratinado ao molho de espinafre e catupiry, é um dos destaques da casa.

Rua Emilio Mallet, 883 – Tatuapé Tel.: 2942 8674

18. Casônsei (Cachunchelli) – La Forchetta 

Criada pelo chef Aldo Teixeira, a receita exclusiva do cardápio do La Forchetta tem inspiração na culinária popular da região do Piemonte. As pessoas mais humildes usavam sobras de carne para rechear os Cachunchelli (casonsèi no dialeto bergamasco), mas, no restaurante de Aldo, a delicada massa ganha toques de requinte com carne de vitela, presunto cru, uva passa e amareto. O molho de manteiga e sálvia é o detalhe que arremata o prato com perfeição. R$ 55,10.

R.: Santa Justina, 210 – Vila Olímpia – Tel.: 3237 0717 www.laforchetta.com.br3

19. Sal Gastronomia – Lombo de cordeiro com Aligot

Macia, com nível intermediário de gordura e versátil para inúmeras receitas, a carne de cordeiro tem uma cor vermelho-rosada, um sabor levemente adocicado e um aroma bastante característico. Vai muito bem com vinho e um acompanhamento que leve batatas, como um aligot – um dos segredos da culinária francesa. O aligot do chef Henrique Fogaça é um dos mais celebrados da cidade. A receita, da região centro-sul da França, é um purê de batatas que leva dois tipos de queijo. A mistura é trabalhada vigorosamente com uma colher até ganhar uma textura totalmente elástica. Originalmente, é servida como uma etapa entre os pratos salgados e a sobremesa – no que os franceses chamam de pré-sobremesa. Mas também acompanha divinamente todo tipo de carne. É o caso aqui. No cardápio do Sal, o Lombo de Cordeiro com Aligot vem caprichosamente escoltado por funghi e molho de jaboticaba.

R. Minas Gerais, 350 – Higienópolis Tel. 3151-3085

 20. Varanda Grill – Picanha

Churrascaria top da cidade, a premiadíssima Varanda – criação de Sylvio Lazzarini, que hoje tem sua cozinha comandada por seu filho, o chef Fabio Lazzarini –, suas carnes são fornecidas pela Intermezzo Gourmet, empresa que é referência em carnes de alto padrão para restaurantes e para o consumidor final. No menu, cortes oriundos de três grandes escolas de churrasco – americana, argentina e brasileira. Desta, a picanha ainda é insuperável.

Rua General Mena Barreto, 793 – Jd Paulista – Tel.: 3887 8870

21. Bar da Dona Onça – Picadinho

Servido tradicionalmente às segundas-feiras, no típico menu diário paulistano, o picadinho agrada tanto o público mais requintado quanto os trabalhadores – com seu ar de comida caseira, comfort food. Complementos: o arroz soltinho feito de hora em hora, o ovo frito caipira, o caldinho de feijão e a farofa da casa, além do tartar de banana, brilham no térreo do edifício Copan, no coração de São Paulo.

Av. Ipiranga, 200 – Loja 27/29 – Telefone: (11) 3257-2016

22. Bar do Alemão – Filé à Parmegiana

Nasceu em Itu, como Bar Steiner, que abriu em 1902 como padaria e confeitaria – mas logo ficou conhecido como Bar do Alemão. E, seguindo a vocação de Itu, tudo lá ganhou dimensão gigantesca – seu famoso filé dá até para quatro pessoas. O Bar do Alemão chegou a São Paulo em 2008. E, é claro, o Filé à Parmegiana é seu carro-chefe, sobretudo na versão gigante. Monumental. De R$ 69 (individual), a R$ 236 (cinco pessoas).

Avenida Juriti, 651 – Moema – Tel.: 3078 3828

23. Dinho´s – Kobe Beef

A tradicionalíssima churrascaria da Alameda Santos fundada por Fuad Zegaib em 1960 continua no mesmo ponto – e sempre tinindo. Entre seus magníficos cortes está o Kobe Beef, o suprassumo do gado Wagyu, que fornece a carne mais saborosa do mundo. No Dinho´s, o kobe beef de 500 gramas chega a perder 100 g de excesso de gordura depois de limpo, restando o chamado marmoreio – sua grande virtude degustativa. A carne é temperada apenas com sal marinho moído e pimenta do reino e submeti da a altas temperaturas por 14 minutos (sete de cada lado). Delícia.

Alameda Santos, 45 – Tel.: 3016-5333

24. Templo da Carne – Costela do Dianteiro

Desde 1979 no coracão do Bixiga, o Templo da Carne incluiu em seu menu fixo, há pouco, a chamada Costela do Dianteiro – e já é um dos carros-chefe da casa fundada por Marcos Bassi, o maior expert em carnes do país. Conhecida em grande parte do Brasil como Costela de Ripa, é um incrível corte assado das cinco primeiras costelas na brasa apenas com sal grosso, como um verdadeiro churrasco deve ser. É necessário reservar a Costela do Dianteiro com 24h de antecedência.

R. Treze de Maio, 668 – Bela Vista, Telefone: 3288-7045

25. Corrientes 348 – Corte Especial 348

Celebrando 20 anos, a steak house argentina Corrientes 348 oferece alguns dos melhores cortes da cidade – como o Corte Especial 348, uma generosa peça de vacío, aqui chamada de fraldão (R$ 128 – 600 gramas/R$ 81 – 300 gramas). É uma deliciosa fraldinha servida em ponto correto e com pouco sal, como manda a tradição portenha.

Rua Comendador Miguel Calfat, 348 – Vila Olimpia – Tel.: 3849-0348

26. A Casa do Porco Bar – Porco San Zé

Os porquinhos servidos no bar-restaurante da moda têm origem caipira, assim como o chef Jefferson Rueda. O cardápio, claro, é voltado para a carne de porco. Uma aposta ousada, mas acertada do chef de Rio Claro: desde sua abertura, A Casa do Porco tornou-se um fenômeno, com filas à porta, diariamente. Juntamente com O Bar da Dona Onça, da chef Janaina Rueda, sua mulher, a 300 metros de distância, eis aí dois dos mais bem-sucedidos empreendimentos gastronômicos da cidade. O Porco San Zé (R$ 48) é uma das estrelas da casa: assado inteiro em churrasqueira de carvão, vem à mesa em várias partes úmidas, crocantes, douradas.

Rua Araújo, 124 – Centro – Tel.: 3258-2578

27. La Casserole – Filet au poivre

Em 1954, Roger e Fortunée Henry abriram o restaurante diante do romântico mercado de flores do histórico Largo do Arouche. Dentro da casa, uma atmosfera parisiense irresistível. A descrição serve impecavelmente para os dias de hoje. A diferença é que a filha do casal, Marie, agora comanda a casa – impecavelmente. Menu clássico francês – e uma das estrelas, claro, é seu Filet au Poivre (Filé mignon grelhado ao molho de pimentas com batatas “à la crème”).Bon appétit. R$ 69

Largo do Arouche, 346 – Tel.: 3331 6283

28. Windhuk – Kassler cozido

No icônico restaurante Windhuk, a gastronomia típica da Alemanha é exaltada em pratos como o Kassler cozido, o carré suíno – ou bisteca –, servido com batatas cozidas e chucrute para ninguém botar defeito. Presente em Moema desde 1948, seu enorme chalé em estilo alpino completa a viagem aos sabores germânicos e, não por acaso, é considerado um dos melhores representantes dessa cozinha em todo o país.

Al. dos Arapanés, 1400 – Moema Tel.: 5044-2040

29. NB Steak – Costeleta de Cordeiro

Criação de Arri Cozer, fundador da rede Fogo de Chão, o NB Steak delicia o cliente com um menu-degustação com o melhor de dois mundos: steak house no clima e nos cortes, rodízio no serviço. Entre as carnes, grandes estrelas da casa, há 12 cortes de raças britânicas, caracterizadas pelo alto nível de marmoreio, e provenientes de fazendas do interior de São Paulo, Rio Grande do Sul e Uruguai. A Costeleta de Cordeiro é um must do NB.

Avenida Vereador José Diniz, 3864 – Campo Belo – (11) 5093-6006. Mais dois endereços

30. Cantina Speranza – Margherita

Ao vir para o Brasil na década de 1950, a família Tarallo – Antonio, dona Speranza e filho Geovane – não veio só com a cara e a coragem. Exímia cozinheira, Speranza trouxe também a receita de uma pizza com as cores da bandeira italiana – vermelho (tomate), verde (manjericão) e branco (queijo mussarela) -, um pão recheado de linguiça e uma torta de ricota. Em 1957 – exatos 60 anos atrás –abrem sua primeira pizzaria, na Avenida Morumbi, mas logo se transferem para a Bela Vista – tinha tudo a ver. Hoje comandada pelos netos de dona Speranza, a casa prima pela excelência – e, é claro, a pizza Margherita (aquela das cores da bandeira italiana) continua sendo sua grande pedida.

Rua Treze de Maio, 1004 – Bixiga Tel.: (11) 3288-8502

31. Sala Vip – Carpaccios

Em 1992, numa pacata esquina do bairro do Ipiranga, casal Sandra Delbosque e Nico Gonçalves inaugurou a primeira unidade da rede. No seu primeiro ano de existência, a SalaVip tornou-se ponto de encontro obrigatório no bairro. Em 1995, foi inaugurada a primeira filial, na cidade de São Caetano do Sul. Hoje com 13 unidades, as pizzas da marca continuam VIP. Uma das mais pedidas é a Carpaccios: carpaccio com queijo na borda, molho especial, parmesão, alcaparras e azeitonas pretas.

Rua Cisplatina, 195 – Ipiranga – Tel.: 2914-8181

32. Os onze da DFB – Zi Tereza di Napoli

Na tradicionalíssima casa aberta em 1945, pizzas tradicionalíssimas dividem o interesse da fiel clientela com inovações sazonais. Durante a Copa do Mundo de 2014, e depois da impiedosa goleada da seleção alemã, os proprietários idealizaram esta “Os 11 da DFB”. Apesar da derrota, o sucesso foi tanto que ela ficou até hoje. Molho de tomate, linguiça calabresa curada, mussarela, tomate cereja, parmesão ralado e manjericão, polvilhado com orégano. Nada muito alemão – mas tudo aqui acaba em pizza.

Avenida Vereador José Diniz, 3401 Campo Belo – Tel.: 5533-3319

33. Margherita – Calabrese

Aberta em 1981 por Antonio Carlos Toledo, o ex-jogador do São Paulo Esquerdinha, a Margherita logo se impôs como o templo da pizza nos Jardins. E assim permanece, lotado todas as noites. Qualidade impecável em todos os seus produtos, é nos sabores clássicos que a Margherita mais se destaca – a Calabrese é um must: molho de tomate fresco, linguiça calabresa artesanal e cebola (R$ 75).

Alameda Tietê, 255 – Jardins – Tel.: 11 2714-3000

34. SM Pizza – Alcachofra

Anexa à célebre padaria do mesmo nome, no Alto da Boa Vista, a SM Pizzas e Restaurante serve as melhores redondas da região. Além das clássicas, há no menu um setor de sabores especiais – como a Alcachofra (queijo emmenthal, coração de alcachofra, tomate concassé, azeitonas verdes.

Avenida Vereador José Diniz, 1.125 – Tel.: 5548 3830

35. Napoli Centrale – Burrata com Parma

A pizzaria do chef gaúcho Marcos Livi (bares Quintana e Veríssimo), em sociedade com Gil Guimarães, instalada no renovado Mercado Municipal de Pinheiros, está mudando os hábitos do paulistano em relação ao consumo de pizza. Ali as redondinhas – em tamanho individual, mas para duas pessoas – são um sucesso na hora do almoço. Entre suas delicias, a Burrata com parma, a R$ 32 (Burrata, pomodorino Giallo e Rosso, presunto cru e raspas de limão siciliano).

Mercado Municipal de Pinheiros R. Pedro Cristi, 89

36. Castelões – Pizza Castelões

A mais antiga (1924) pizzaria da cidade, no mesmo endereço, a Castelões está em sua quinta geração de clientes fiéis – que curtem aquele clima de cantina do Brás que poucas casas ainda mantêm. Entre suas pizzas quase centenárias, mas com sabores fresquíssimos e irrepreensíveis, a que leva o nome da casa é um clássico reproduzido em dezenas de outras pizzarias da cidade: mussarela coberta por rodelinhas de calabresa frita (não cozida) e picante. Uma delícia.

Rua Jairo Goes, 126 – Brás Tels.: 94721-3355 / 99314-5400.

37. Carlos Pizza – Carlos

Essa pizzaria despojada na Vila Madalena que recupera a tradição da pizza individual feita com massa de fermentação lenta e assada no forno a lenha tornou-se uma sensação na cidade. Além de entradas criativas, produz redondinhas no capricho – uma das sensações é a que leva o nome da casa, com mussarela, radichio, ricota, parmesão e linguiça curada.

Rua Harmonia, 501 – Tel.: 3813-2017

38. Terraço Itália – Lagosta Grelhada com Molho de Laranja e Risotto de Limão Siciliano

Além de estar no topo do prédio mais icônico da capital paulista, proporcionando aos clientes uma vista sem igual da cidade, o Terraço Itália tem pratos emblemáticos – como esta Lagosta Grelhada. No cardápio desde a abertura da casa, em 1967, a receita foi sendo lapidada e ganhando diferentes guarnições sem nunca deixar de ser um clássico. A cauda de lagosta tem, em média, 300 gramas e chega do nordeste quinzenalmente. A entrega dos cem quilos da iguaria é acompanhada pessoalmente pelo chef Pasquale Mancini, que prepara quase duzentos pratos por mês desse tesouro do mar.

Av. Ipiranga, 344 – 41o. 42o. andar Tel. 2189-2929

39. A bela Sintra – Bacalhau à lagareiro

Casa aberta por um dos mestres da gastronomia portuguesa no Brasil, Carlos Bettencourt, o A bela Sintra nunca decepciona sua fiel clientela. E há os que se agarram a um dos carros-chefs do menu da casa – a tradicional receita lusa Bacalhau à Lagareiro, em postas, empanado e frito no melhor azeite. Vem montado no centro do prato com alho frito, cebolas amolecidas, azeitonas pretas, brócolis, tomate e estonteantes batatas ao murro. Um sabor profundo que evoca Portugal.

Rua Bela Cintra, 2325 – Jardim Paulista – Tel.: 3891-0740

40. Cantina C…Que Sabe! – Camarão envolto em Salmão

Criado em homenagem aos 85 anos da Cantina, o prato é a obra-prima do chef Bruno Stippe, que mistura influências apreendidas em suas viagens. No sabor, se expressam toques das culinárias mediterrânea e italiana, mas também estão presentes especiarias e técnicas orientais, como o cozimento no vapor aromatizado (japonesa), que conferem personalidade única ao prato. Outro exemplo é o camarão, que é marinado em vinho branco com ervas (hábito mediterrâneo).o prato é a obra-prima do chef Bruno Stippe, que mistura influências apreendidas em suas viagens. No sabor, se expressam toques das culinárias mediterrânea e italiana, mas também estão presentes especiarias e técnicas orientais, como o cozimento no vapor aromatizado (japonesa), que conferem personalidade única ao prato. Outro exemplo é o camarão, que é marinado em vinho branco com ervas (hábito mediterrâneo).

R. Rui Barbosa, 192 – Bela Vista 3251-4597

41. Rufino´s – Camarão à húngara

Grife de receitas marinhas que nasceu no Guarujá, pelas mãos do pescador espanhol Rufino Casal Treinta, e se consagrou com suas duas filiais paulistanas. O menu da casa é uma sequência de delícias do gênero – mas o Camarão à húngara
(com creme de leite, páprica e alguns segredinhos, tudo ao forno com batatas) disputa o título de melhor prato de frutos do mar da cidade.

Rua Mario Ferraz, 377 – Itaim – Tel.: 3074-8800

42. Bacalhau, Vinho e Cia – Bacalhau grelhado à moda da casa

Há quase meio século servindo receitas portuguesas feitas com Gadus morhua, bacalhau de qualidade superior, a casa é especialista no peixe. Os pratos fartos são garantidos há três gerações. O Bacalhau grelhado à moda da casa, um dos principais atrativos, traz uma posta alta inteira grelhada acompanhada de brócolis e batatas coradas, molho acebolado com pimentão vermelho, alho e azeitonas portuguesas ao azeite e vinho branco.

R. Barra Funda, 1067 – Barra Funda Tel.: (11) 3666-0381

43. A Figueira Rubaiyat – Caixote Marinho

Outro empreendimento muito bem-sucedido do clã Iglesias, os fundadores do célebre Rubaiyat. A Figueira, que recebe esse nome porque se instala em torno de uma majestosa árvore, além das tradicionais carnes da grife capricha nas receitas de frutos do mar – entre os quais uma grande pedida é o Caixote marinho (polvo, camarão, vieiras, lula e peixes), para quem tiver dúvidas sobre o que pedir. Esse não tem erro para qualquer gosto.

Rua Haddock Lobo, 1738 – Jardim Paulista Tel.: 3087-1399

44. PF Chang’s – Pad Thai

A gigante do casual dining asiático tem a sua própria versão do tradicional prato Tailandês: feito com macarrão de arroz, molho de tamarindo, acompanhado de ovo, tofu, brotos de feijão, amendoim e coentro, Pad Thai ainda pode ser servido – de acordo com a preferência do cliente – num combo com camarão e frango (foto) ou em variação vegetariana.

Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 627 – Vila Nova Conceição Tel.: (11) 3044-0571

45. Oscar Bistrô – Marmite De La mer

Com refeições para todas as ocasiões, o cardápio da casa reúne desde opções sofisticadas para saborear num jantar descontraído regado a vinho a pratos mais leves para refeições rápidas. Uma exclusividade da casa, o Marmite de la mer, prato tradicional francês ideal para os dias mais frios, leva frutos do mar, como lula e polvo, os peixes salmão e linguado, além de legumes e especiarias e é servido em uma peça de cerâmica que mantém o calor da comida.

R. Oscar Freire, 727 – Jardins – Tel.: 3063 5209

46. Bar do Peixe – Caldeirada

Preparada com polvo espanhol, lula, mariscos e mais seis tipos de peixe, é impossível resistir ao carro-chefe da casa. Além do sabor incomparável, como todos os pratos servidos no Bar do Peixe, a Caldeirada é caprichada. O segredo são os ingredientes sempre frescos usados nas receitas. Peixe congelado não entra na cozinha de Antonio Vieira, conhecido como Seu Toninho.

R. Sônia Ribeiro, 43 – Campo Belo Tel. 5041 0845

47. Frangaria – Frango desossado

Assada na brasa, a principal atração da casa é famosa pela suculência incontestável, tempero sempre na medida (que leva vinagre, mostarda, páprica e ervas) e pelo seu principal acompanhamento: uma generosa porção de polenta frita, que chega à mesa sequinha e crocante por fora e macia por dentro. Suas três unidades (Chácara Santo Antonio, Vila Olimpia e Berrini) são igualmente charmosas e aconchegantes.

R. Gomes de Carvalho, 955 Tel.: 3045-8828 – Vila Olimpia

48. Le Vin Bistrot – Coq au vin

A casa de Francisco Barroso e Nancy Mattos, consagrada entre os bistrots paulistanos, tem nos pratos clássicos franceses seu ponto de honra. E, entre eles, um insuperável Coq au vin – delicioso ensopado francês de galo e vinho. Na versão do Le Vin, usa-se frango e o resultado é perfeito – depois de um preparo trabalhoso, com a ave 48 horas marinando em alho, cebola, cenoura, alho-poró e…duas garrafas de vinho. Depois de devidamente assado, vai à mesa acompanhado de legumes refogados, cebolinha francesa, purê de batatas ou batatas gratinadas.

Rua Rua Pais de Araújo, 137 – Tel.: 3168-3037

49. Galinheiro Grill – Frango assado na brasa

A história da casa começou com ele, o Frango assado no carvão, servido em pedaços e, não por acaso, a iguaria continua sendo o carro-chefe há 25 anos. O segredo do sabor único é o preparo: a ave é marinada por horas em uma mistura de condimentos antes de ir para a brasa. Para acompanhar, a farofa e o vinagrete ou a polenta frita salpicada com parmesão complementam a experiência com perfeição.

Rua Inácio Pereira da Rocha, 231 Vila Madalena – Tel.: 3816 3208

50. China Lake – Pato Laqueado de Pequim

Símbolo da tradicional cozina chinesa,exótico Pato de Pequim é feito com a pele da ave que recebe um “laquê”, espécie de calda agridoce. No China Lake, o prato é servido em duas versões: a simples, com a pele frita envolvida em panquecas, acompanhada de molho missô e talos de cebolinha; e a completa, que, além da pele, traz a carne do pato com legumes, missô, arroz e uma sopa feita com os ossos do animal.

Rua Marechal Deodoro, 525 – Santo Amaro Tel.: 5524-7921

51. Freddy – Magret de Canard

Há 12 anos no comando da cozinha do tradicionalíssimo restaurante Freddy, o chef Pedro Santana trabalha na casa pelo dobro do tempo o chef Pedro Santana trabalha na casa pelo dobro do tempo e conhece em detalhes o segredo de cada prato e as preferências da requintada e fiel frequesia. Para executar o clássico Magret de Canard ele recebe pessoalmente a carne de pato, que chega duas vezes por semana de uma fazenda em Campinas. Colocao peito em uma marinada de vinho branco e temperos por nada menos que oito dias.A parte da gordura recebe então precisas incisões com a ponta da faca antes de a peça ir para a frigideira. São cerca de 20 quilos de magret toda semana, que resultam em 30 pratos irretocáveis acompanhados de um delicado purê de maçã.

R. Pedroso Alvarenga, 1170Tel. 3168-7339

52. L’Osteria do Piero – Insalata à Moda do Piero

Inaugurada em 1972, essa clássica cantina italiana recebe calorosamente os clientes. Para abrir o apetite, o tradicionalíssimo couvert de pão italiano, manteiga, sardella, azeitonas e berinjela. Daí para a frente cardápio variado e saboroso oferece inúmeras opções de antepasto, porções, sopas, risoti , peixes, carnes e 17 diferentes tipos de massa servidas com mais de 30 possibilidades de molhos entre vermelhos e brancos. Mas, enquanto se decide, a lei no Piero é pedir sua majestosa Insalata à Moda do Piero –a mais vistosa e saborosa salada completa da cidade, que chega à mesa com alface, agrião, escarola, erva-doce, tomate, palmito, almeirão, rúcula, berinjela, pimentão e torradas de alho. Fartura!

Al. Franca, 1509 – Tel. 3085-1082.

53. Madero – Palmito pupunha 

A rede de Steak Houses fundada pelo chef Junior Durski em 2005 tem numa entrada, o Palmito pupunha assado na manteiga com flor de sal, um dos seus pratos de maior sucesso. Desmancha na boca e combina bem com as carnes. Atualmente são vendidos, em média, 15 mil palmitos por mês em toda a rede Madero, com inúmeras lojas em São Paulo. Cada peça serve bem pelo menos duas pessoas.

Av. Roque Petroni Júnior, 1089 – Tel.: 5181-1541

54. Galeria dos Pães – Buffet de sopas

Uma das mais conhecidas padarias da cidade, a Galeria dos Pães tem status de ícone gastronômico justamente por ir muito além dos pães. No inverno, o delicioso Buffet de sopas é responsável por formar filas na entrada da casa. São seis opções para saborear a vontade por R$ 41,80, com direito a uma variedade de pães, como o australiano e o francês, com e sem gergelim, servidos todos os dias, das 18h às 5h.

Rua Estados Unidos, 1645 – Tel.: 3064-5900

55. Outback – Blooming Onion

Parece uma flor de pétalas empanadas, mas é apenas um dos carros-chefe do Outback – presente em 20 cidades brasileiras. Uma cebola enorme, italiana ou espanhola, é despetalada com um cortador profissional – difícil repetir a receita em casa. É coisa de profissional. Mas o efeito, quando a Blooming onion empanada e picante, chega à mesa, com os comensais arrancando pétala a pétala para mergulhá-la no molho que acompanha, é quase cenográfico.

Avenida Moaci, 187 – Moema – Tel.: 5096-7713 – E outros 19 endereços em São Paulo

56. Trattoria Famiglia Manzoli – Bruschetta al pomodoro

Radicado em Ilhabela há quase 20 anos, o Ristorante Famiglia Manzoli subiu a serra e, na Vila Madalena, se transformou em Trattoria. Quem comanda as panelas e mantém as receitas de família é a jovem chef Carina Manzoli. O cardápio transporta a essência de temperos e receitas de sua vivência na Itália, mais precisamente em Lucca, cidade natal da família. Entre as fartas entradas, uma farta Bruschetta al Pomodoro (R$ 26).

Rua Mourato Coelho, 1365 – Pinheiros – Tel.: 2619-2500

58. Aranda Asados Y Tapas – Ovos Rotos

A culinária basca, seus sabores e aromas, são a inspiração para o restaurante Aranda Asados Y Tapas, no Itaim, comandado pelo restaurateur Mendes – ex-Rubayat e North Grill– que se destaca com seu cardápio de assados, peixes, frutos do mar, arrozes e outras opções ligadas à gastronomia da região montanhosa do norte da Europa. Entre as 16 entradas do cardápio, destaque para os Ovos rotos servidos com batatas fritas e tiritas de jamón (R$ 34).

Rua Amauri 328 – Tel.: 3079-4816

59. Bistrot de Paris – Bouillabaisse provençale du bistrot rouille et croûtons

Caldeirada clássica francesa (pargo, vermelho, linguado, camarão, lula e mexilhões no próprio caldo) é uma receita emblemática do sul da França, mais precisamente de Marseille. “Uma moqueca à la Francaise que exige muita técnica. Uma explosão de sabores provençais. Eu amo”, diz o chef Alain Poletto, o mestre do aconchegante Bistrot de Paris

Rua Augusta, 2542/12 – Tel.: 3063-1675

60. Wendy’s – Baconator

Para os fãs de bacon, principal lanche da casa não decepciona: com seis tiras de bacon Premium defumado, não há como abocanhar o Baconator sem sentir o sabor característico. Servido no pão francês no formato de hambúrguer comum ou integral, ele leva ainda maionese, ketchup, duas fatias de queijo cheddar e dois hambúrgueres quadrados de Angus temperados.

Av. Juscelino Kubitschek, 1201 Itaim www.wendysbrasil.com.br

61. Bauru  –  Ponto Chic

Aluno da Faculdade de Direito da USP, Casimiro Pinto Neto, o Bauru, foi o responsável pela invenção do sanduíche que levou seu nome  (1937) no Ponto Chic, sugerindo ao chapeiro um sanduíche com sobras de ingredientes. A receita é a original, até hoje: finas fatias de rosbife, tomate em rodelas, pepino em conserva e uma mistura de quatro tipos de queijos fundidos em banho-maria (queijo prato, estepe, gouda e suíço). Um sanduíche (R$ 24,90) que agora completa 80 anos.

Largo Paisandu, 27 – Tel..: 3222-6528

62. Bar do Mané – Sanduíche de mortadela

Uma tradição e um espanto: 300 gramas de mortadela da marca Ceratti em duas fatias de pão francês. Turistas de todo o Brasil vão ao Mercadão para devorar esse monumento e depois postar fotos. Uma tradição da banca aberta em 1933, junto com o Mercado Municipal.

R. Cantareira, 306 – Centro

63. Tipo Prime – Brasileiríssimo

Recém-criado pela equipe da hamburgueria conceitual, o Brasileiríssimo é um dos sanduíches gourmet que já fazem sucesso por lá. Os segredos do sabor marcante estão no blend, feito com picanha uruguaia e na couve salteada no bacon e gratinada com catupiry. Entre as fatias de pão zero lactose vão também salada de vinagrete e folhas de rúcula. E, para beliscar, o lanche vem acompanhado das crocantes mandiocas fritas.

Rua Fernandes Moreira, 1243 – Chácara Santo Antonio – Tel.: 3926-1200

64. Jasmim Rosa Café – Sanduíche de rosbife marinado

Com ingredientes frescos e selecionados, o Jasmim Rosa Café desenvolve lanches que marcam o paladar de seus clientes, como o delicioso Sanduíche de rosbife marinado em vinho tinto e alho. Servido no pão ciabata, leva ainda mussarela derreti da, alface americana, rodelas de tomate fresco, acompanha ainda papas mexicanas.

R. Itapeva, 182 – Bela Vista – Tel.: 4111-3437

65. Z Deli Sandwich Shop  – Deluxe

Pão de hambúrguer, hambúrguer de 180 g, cheddar inglês, maionese de alface, picles da casa, tomate, cebola roxa e bacon mapple (bacon suíno com xarope de mapple). Com esse blend diversificado, o Deluxe é o hambúrguer mais pedido do Z Deli, que faz seus sanduíches com um requinte gourmet que os torna imperdíveis. O hambúrguer une o sabor de cinco cortes bovinos selecionados: coxão duro, short rib, acém, costela e peito. Entre eles, uma porcentagem de 15 a 20% de gordura. O segredo é o equilíbrio entre a carne a gordura – a chamada emulsificação.

Rua Haddock Lobo, 1386 – Tel.: 3083-0021

66. Osnir Hamburger – Beirute

Na hamburgueria com quase 50 anos de tradição, o sanduíche de influência árabe é servido em cinco versões: o mais pedido é Beirute da Casa, feito com filé mignon, ovo, queijo, bacon, alface, tomate, maionese caseira e servido com fritas. Caprichados, podem ser compartilhados por duas a três pessoas. Há ainda as opções Simples, Especial, Americano e Rosbife, igualmente deliciosas.

Av. Jabaquara, 538 – Mirandópolis Tel: 55833055

67. Fornatore – Big Fornatore

No Fornatore, as cozinhas americana e italiana convivem em harmonia, dando opções deliciosas para quem não abre mão de variedade e sabores cheios de personalidade. Lá, a boa pedida é o Big Fornatore, uma lenda viva dos hambúrgueres, com queijo prato, maionese da casa, fatias de bacon, cebola roxa, alface e tomate. O disco de carne é um blend desenvolvido com exclusividade para os lanches da casa.

R. Conselheiro Moreira de Barros, 2780 – Santana Parque Shopping – Tel.: 2238-3223

68. Estadão Bar e Lanches – Lanche de Pernil

No bar ao lado do edifício que por 40 anos abrigou o jornal O Estado de S.Paulo, a estrela, desde 1968, é o lanche de Pernil – servido 24 horas – com molho de cebola, tomate e pimentão. São mais de 30 peças de pernil consumidas por dia, cada uma delas pesando em média sete quilos. Fenômeno.

Viaduto Nove de Julho, 193 – Centro – Tel.: 3257-7121

69. New Dog – X-Salada

Na cinquentenária hamburgueria, as inúmeras possibilidades de sanduíches são preparadas com primor, de acordo com o gosto do cliente. O destaque do cardápio é o X-Salada, que faz sucesso desde os tempos em que a casa tinha capacidade para apenas 16 clientes, na década de 1960. Hoje, com 400 lugares, New Dog continua prezando a qualidade e sabor de suas receitas e conquistando o paladar da cidade.

Rua Joaquim Floriano, 254 – Itaim Bibi Tel.: 3702-7888

70. Stunt – Hambúrguer de falafel

Criada em 2015 pelo chef Donato Galvez e seus filhos Donato e Nicholas Acquaviva, a hamburgueria artesanal oferece um atendimento diferenciado, inspirado no serviço das lanchonetes californianas: o cliente faz o pedido no balcão, escolhendo os ingredientes de sua preferência para montar o próprio lanche. E, para os vegetarianos, o Hambúrguer de falafel é a boa pedida da casa.

Rua José Jannarelli, 426 – Vila Progredior – Tel.:: 3721-3538

71. St Louis – Classic com bacon

Hamburgólogo de primeira linha, o chef Luiz Cintra prepara alguns dos melhores sanduíches da cidade – sem invenções, apenas com qualidade acima da média. O seu Classic com bacon tem receita familiar– sem invenções, apenas com qualidade acima da média. O seu Classic com bacon tem receita familiar– hambúrguer de 220 gramas, tomate, bacon, cebola, picles e maionese da casa. Mas é tudo de bom, com um blend de cortes muito bem equilibrado – 40% de capa de contra-filé com capa de gordura, 40% de coxão mole e 20% de peito.

Rua Batataes, 242 – Jardim Paulista – Tel.: 3051-3435

72. Cão véio – Shiba inu

No restaurante pet friendly do chef Henrique Fogaça, lanche Shiba Inu (nome de uma raça canina oriental) tem o delicioso sabor do Kobe beef, a carne mais macia do mundo, acompanhado por queijo brie, tomate confitado, cebola caramelizada e miniagrião –no pão de brioche. Servido com batata canoa e molho sweet chilli, o lanche é coisa de masterchef!

Rua João Moura, 871 – Pinheiros – Tel.: 4371-7433

73. Vinheria Percussi – Crostini All’Aglio

Cheia de personalidade, a Vinheria Percussi, dos irmãos Silvia e Lamberto Percussi, tem um pão de alho especial, servido em porções de seis fatias de baguete amanhecida besuntadas com uma pasta de alho no azeite, sal, pimenta e creme de leite. Toque final de queijo parmesão gratinado.

Rua Cônego Eugênio Leite, 523 Jd América  – Tel.: 3088 4920

74. Moça Bonita – Bar Combo do Mar 

Criados como saborosas alternativas para o happy hour (ou Pin-up hour, no Moça Bonita), a casa oferece os combos do ar, do mar e da terra de segunda a quinta-feira, das 17h às 20h, que permitem provar três ou quatro tipos de petiscos na mesma opção. O Combo do Mar traz peixe empanado, camarão alho e óleo e lula à dorê e é um dos mais pedidos nas sete casas da rede.

Rua Prof. José Horácio Meirelles Teixeira, 645 – Portal do Morumbi Tel.: 2507-8231

75.  Rota do Acarajé – Aracajé 

Assim como na Bahia, na Rota do Acarajé a iguaria é feita com feijão-fradinho lavado e moído e frito em azeite de dendê, para que fique crocante e sequinho. Os sócios Luisa Saliba e Ricardo Gil Fonseca fazem questão de trazer ingredientes diretamente de Salvador, para garanti r a qualidade e a textura do bolinho. Exemplos disso são a marca do azeite de dendê, que nunca foi alterada, e o camarão, que vem do Mercado São Joaquim, tudo para manter as características do acarajé original.

Rua Martim Francisco, 529/533 e 530 – Santa Cecília Tel.: 3668 6222

76. Cachoeira Natural – Pastel assado no vapor

Com um buffet especializado em comida natural, o Cachoeira Natural oferece nada menos que 70 variedades de pratos preparados com ingredientes selecionados a preços justos no almoço, incluindo sobremesas e sucos. Muito procurado pelos adeptos de uma alimentação saudável, o restaurante oferece deliciosas opções como o Pastel assado no vapor, que pode conter recheio de ricota, frango ou palmito pupunha.

Rua João Cachoeira, 263 – Itaim Bibi – 3079-7578

77. Ofner – Coxinha

Com ou sem catupiry, o salgado da Offner tem personalidade única em todas as lojas da famosa rede de confeitarias: frango bem desfiado e com tempero na medida, massa saborosa e muito macia. Preparadas artesanalmente todos os dias, as coxinhas seguem o padrão de qualidade que renderam em 2017 à Ofner o reconhecimento da Max Foods Multi Negócios e do Instituto de Pesquisa Datafoods como uma das Melhores Confeitarias do Brasil.

www.ofner.com.br

 78. Hocca Bar – Pastel de bacalhau

Outra instituição paulistana, o generoso pastel do Hocca Bar – uma das grifes da porção gastronômica do Mercado Municipal de São Paulo – já virou uma atração turística. Impossível ir ao Mercadão e não devorar um pastel de bacalhau do Hocca, pioneiro do pedaço, aberto em 1933. São 200 gramas do legítimo Gadus morhua numa massa leve e deliciosa, que vale p or uma refeição (R$ 26,25).

Mercado Municipal, Rua G, Box 7; e Mezzanino.

79. Marie Marie Bakery – Pão de campagne (centeio)

A bakery do Tatuapé oferece uma variedade de pães artesanais, feitos com uma combinação de farinhas da marca francesa Bagatelle, produzidas sem aditivos e com uma fina seleção de grãos. O pão de campagne, um dos mais pedidos na casa, foi consumido por séculos nas aldeias da França. Rústico, tem casca ligeiramente grossa, miolo de cor castanha e alvéolos irregulares.

Marie Marie Bakery – Rua Azevedo Soares, 2532 – Tatuapé Tel.: 2293 7260
Petit Marie – Unidade Jardim América Rua Colômbia, 100, dentro do salão 1838 Tel.: 99455 3042

80. Almanara  – Esfihas

Zuhair Coury abriu o primeiro Almanara na região da 25 de Março, em 1950. O sistema, até então inédito na cidade, era o de rodízio – mas um item já se destacava: a esfiha. Sessenta e sete anos mais tarde, suas esfihas continuam sendo um ícone da marca e da culinária árabe no Brasil. Todas as receitas do Almanara, incluindo as esfihas, estão na família há mais de 200 anos. São receitas centenárias, trancadas a sete chaves. A de carne é a que mais sai – a de verdura, surpreendentemente, vem logo atrás. Mas com a mesma qualidade.

Rua Basílio Da Gama, 70 Centro – São Paulo Tel.: 3257 7580 – E mais 13 endereços

81. Aoyama – Sushi

As mais de 40 variações da iguaria (dentre elas, os niguirizushi, uramaki, hossomaki e futomaki) levam à loucura os amantes da boa culinária japonesa. O Djô de Salmão maçaricado com maionese de wasabi é novo no cardápio, mas já é um sucesso. Há 20 anos levando o colorido e saboroso legado da família Nagai para suas sete unidades, o Aoyama se destaca entre a multidão de sushis houses da cidade pela qualidade e frescor de seus produtos, além do empenho em trazer novidades para surpreender seus clientes.

www.restauranteaoyama.com.br

82. Sushi Isao – Rodízio

O mais disputado Buffet de iguarias japonesas do bairro da Liberdade é uma mesa irresistível, criada e permanentemente aprimorada pelo mestre Isao Gushi – que fez da excelência seu objetivo máximo no Brasil. Clássicos japoneses –suhi, uramaki, gunkan, niguiri de salmão flambado – e pratos quentes, como um irresistível camarão à milanesa. Tudo à vontade. Por R$ 113 de terça a sexta; R$ 124, sábados, domingos e feriados.

Rua da Liberdade, 111 – Tel.: (11) 3106-7287

83. Djapa – Rodízio

Servidas no ápice de seu frescor, delícias da culinária japonesa, como sushis e sashimis, se multiplicam a todo instante pelas mãos de oito experientes sushimen. Mas, além dos clássicos, para quem não tem afinidade com os peixes crus, o Djapa oferece opções como guioza, casquinha de siri, trouxinha de camarão e ostra gratinada. Contempla também vegetarianos e veganos e oferece alternativas para alérgicos. R$ 89 por pessoa, incluindo mais de 35 pratos e cinco opções de sobremesas.

R. Gaivota, 168 – Moema – Tel.: 2691 2003

84. Jardineira Grill – Rodízio de carnes

Fundada em 1995, à beira da Avenida dos Bandeirantes, a Jardineira permanece com a proposta de oferecer sabor e complexidade em seu serviço de rodízio, com cortes das melhores procedências e um buffet de saladas e pratos de primeira linha, incluindo sushi, sashimi, camarão, lula, mariscos e caviar. Vale 0 preço: R$ 130 por pessoa, todos os dias, almoço e jantar.

Av. dos Bandeirantes, 1001 Vila Olimpia – Tel.: 3048-0299

85. Badebec – Buffet

O vasto buffet servido no almoço do Badebec é o tipo de banquete que enche os olhos e não facilita a escolha dos indecisos. Com pratos que fogem do trivial, a casa oferece entradas, saladas, acompanhamentos, massas, carnes, peixes e frutos do mar com o tempero infalível da chef Lourdes Bottura. Sua culinária contemporânea tem influência de várias culturas e está em constante renovação e atualização para surpreender seus clientes. Preços: de segunda a sexta, R$ 49,60. Fim de semana: R$ 64,90

R. do Rocio, 423 – Tel.: 3842 1672 – www.badebec.com.br

86. Café Journal

Um dos points de Moema, inaugurado em 1997 pelo proprietário Denis Rezende, amante de vinhos, arte, música e de uma boa comida, Café Journal serve um almoço disputado na região – graças a seu variado buffet gourmet, de segunda a sexta por R$ 69,80, aos sábados R$ 79,80 e R$ 98,80 aos domingos – com mais opções, como uma deliciosa paella. Em todos os dias há três opções de assados (cupim, costela, lombo, et c) e muitas saladas.

Alameda dos Anapurus, 1121 Moema – Tel.:: 5055-9454

87. All seasons – Fondue clássico

Um dos templos do fondue desde a abertura da casa, há 17 anos, o restaurante All Seasons, no lobby do hotel Golden Tulip Paulista Plaza, oferece desde o Fondue de Queijo Raclett e Suíço ao de Camarões Crocantes – quando o inverno chega. Ingredientes de primeiríssima – e clima de estância suíça.

Alameda Santos, 85 – Tel.: 2627-1336

88. Prêt Café

Com um ar ao mesmo tempo caseiro e refinado, o Prêt tem pratos montados num fogão com aparador, de onde saem receitas caprichadas que mudam dia a dia – essa rotatividade atraiu para a casa clientes que ali vão almoçar todo dia. Risoto de bacalhau e o arroz jasmim incrementado com shiitake, cuscuz de camarão com peixe e escalope de filé recheado com queijo brie e molho de vinho do Porto. R$ 45 a 47. Tem unidade no Museu de Arte Moderna.

Rua Bela Cintra, 2375 – Consolação –Telefone.: 3085-8544

89. Santinho

O tradicional buffet de comida brasileira da chef Morena Leite é servido no almoço, com cores e sabores diversificados. Os pratos são organizados em estações na bancada, apresentando: saladas, grãos, leguminosas, proteínas, massas e tapiocas. E combinações de comidas saudáveis oferecem enorme variedade aos vegetarianos. Há dois anos, o Santinho ganhou casa nova. E que casa! Num dos salões do Theatro Municipal de São Paulo, unindo gastronomia com arte e cultura. R$ 54 por pessoa.

Pça Ramos de Azevedo, 1 – centro Telefone.: 3222-1683

90. Ráscal

Outro ícone paulistano, a casa é inspirada na cozinha mediterrânea, com influência italiana e atenção à riqueza e à diversidade de ingredientes nacionais. O menu é elaborado pela chef Nadia Pizzo, crescida no interior da Itália. Sua mesa de saladas – a melhor da cidade – é enriquecida com frios e antepastos de primeira. Uma ilha de massas, com pratos montados na hora, faz parte do buffet famoso. A torta de maçã é obrigatória. De segunda a sexta, R$ 75; sábados, domingos e feriados, R$ 84

Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2232 e outros oito endereços em São Paulo – Tel.: 3816-3546

91. Cachoeira Natural – Paella de chocolate

A receita nasceu há alguns anos, quando o restaurateur Americo Mendes foi convidado a cozinhar para as modelos do Concurso Miss Brasil. Com chocolate 70% cacau e um mix de frutas como morango, manga, kiwi e mamão, a sobremesa foi um sucesso entre as misses e ainda hoje integra o buffet do Cachoeira Natural. Entre as mais de 20 opções de sobremesas que a casa oferece, a Paella de chocolate é, sem dúvida, uma atração à parte.

Rua João Cachoeira, 263 – Itaim Bibi – Tel.: 3079-7578

92. Bacio di Latte – Gelato

Não é uma marca italiana com filial no Brasil, como muitos pensam. Fruto da sociedade entre um italiano (EdoardoTonolli) e um escocês (Nick Johnston), que vieram investi r no Brasil fugindo da crise europeia em 2012, a Bacio di Latte bombou desde a primeira loja, na Rua Oscar Freire. Hoje tem mais de 70 lojas no país, cada uma com produção própria, para manter o frescor do gelato – um sorvete com características próprias: não contém aromatizantes, conservantes ou corantes artificiais. Muitas atrações no menu, como o São Thomé & Príncipe 70%, chocolate de origem de São Thomé & Príncipe.

Rua Oscar Freire, 136 –Tel.: 3062.0819 E outras 32 lojas em São Paulo

93. La Basque – Sorvete

Fundada em 1980 com a intenção de produzir sorvete de altíssima qualidade e características artesanais, mesmo industrializado, a La Basque continua enfrentando a onda dos gelatos com muita competência, inclusive no mercado food service. Do LB Chocolate com amêndoas ao LB Cheesecake com calda de framboesa, muitos sabores top.

www.labasque.com.br

94. Cereja Flor – Taças Cereja Flor

Transbordantes taças são as principais atrações desse bistrô vintage localizado na Zona Leste, comandado pela patissier Jaqueline Alves. Essas sobremesas são apresentadas em 15 versões, com recheios espetaculares. Na foto, a Ferrero Rocher e Raffaello, que leva ganache de chocolate branco e muita Nutella, além de amendoim e avelãs triturados, brigadeiro gourmet de coco, sorvete de creme, chantilly de leite Ninho e bombons Ferrero Rocher e Raffaello.

Rua Tariana, 60 – Jd Anália Franco – Tel.: 2671-0326

95. SOS Cupcake – Cupcake

Todos os dias, as massas dos bolinhos são batidas a mão para garantir a maciez e umidade que são a marca registrada da casa. São 30 sabores – alguns bastante inusitados, como o Blueberry, que leva a frutinha no recheio (em um delicioso creme) e na cobertura (em forma de geleia) ao lado de um cremoso brigadeiro branco ou preto. Os clientes ainda têm a possibilidade de personalizar o sabor de seus cupcakes de acordo com a preferência.

Rua Desembargador do Vale, 162 – Perdizes Tel.: 3578 1001

96. Vinheria Percussi – Tiramisu 

Da cozinha da chef Silvia Percussi saem pérolas da gastronomia italiana contemporânea como o Tiramisù Clássico, servido na casa desde sua abertura, em 1985. A receita é de Maria Grazia, mãe de Silvia e Lamberto (restaurateur e sommelier da Vinheria), fez parte da infância de ambos e leva biscoito inglês, queijo mascarpone, chocolate e café.

Rua Cônego Eugênio Leite, 523 – Jd América – Tel.: 3088 4920

97. Andiamo – Panacotta

Desde 1992, na rede de comfort food italiano, ingredientes selecionados e toques artesanais resultam em delícias incomparáveis, como a Panna Cotta. O tradicional doce italiano é feito com baunilha de Madagascar, servida com calda de frutas vermelhas. Um verdadeiro bálsamo para o paladar.

Av. Ibirapuera, 3103 (Shopping Ibirapuera Piso Jurupis) – Tel.: (11) 5561 3682

98. Paris 6 – Grand Gâteau

O festejado bistrot 24 horas de Isaac Azar atrai celebridades o tempo todo – e elas, como se sabe, dão nome aos pratos. Sua mais espetacular sobremesa é o Grand Gâteau – taça de sorvete cenográfica que é uma festa para os olhos. Mas o sucesso dessa delícia exagerada é tanto que ela se transformou numa categoria de sobremesas – com mais de 20 variações, todas batizadas com nomes de pessoas famosas. A que homenageia a atleta Rafaella Santos, por exemplo, leva Chocolat recheado com pedaços de Snickers, Picolé Diletto de Chocolate, cobertura de ganache de chocolate meio amargo, castanha-de-caju granulada, pedaço de Snickers e toque final de leite condensado.

Rua Haddock Lobo1240 – Cerqueira César – Tel.: 3085-1595

99. Coco Bambu – Cocada ao forno

Na rede cearense de restaurantes de frutos do mar que se tornou um fenômeno em todo o Brasil, com suas gigantescas porções, há uma sobremesa praticamente obrigatória: a Cocada ao forno, servida com sorvete de creme. O contraste de temperaturas já conquista o paladar do cliente, mas o sabor do coco queimadinho é indescritível e fecha a refeição com chave de ouro.

Av. Antônio Joaquim de Moura Andrade, 737 – Vila Nova Conceição – Tel.: 3051 5255

100. Taormina – Cannoli

É a receita original do doce siciliano, seguida à risca pela chef pâtissière Helena Morici: creme de ricota de ovelha, frutas cristalizadas e raspas de laranja. Todos os canudos são feitos na hora.

Alameda Itu, 251 – Tel.: 3253 6049