Seleção adocicada

Pâtisserie Douce France

Mesmo depois de fartas ceias, jantar nenhum, ainda mais a santa rMesmo depois de fartas ceias, jantar nenhum, ainda mais a santa refeição natalina,efeição natalina,  tem fitem fi  m antes das esperadas sobrm antes das esperadas sobremesas. Cada família tem suas tradições para estaemesas. Cada família tem suas tradições para esta  etapa tão importante e saboretapa tão importante e saborosa da noite. Go’Wherosa da noite. Go’Where Gastre Gastronomia selecionou o queonomia selecionou o que  há de melhor nas mais conceituadas confeitarias de São Paulo. Criações exclusivashá de melhor nas mais conceituadas confeitarias de São Paulo. Criações exclusivas  com a marcom a marca de cada chef, para quem quer fechar a ceia com chave de ourca de cada chef, para quem quer fechar a ceia com chave de ouro.

Por: Lucas Nascimento
Fotos: Wellington Nemeth


 

Pâtisserie Douce France

Pâtisserie Douce France

O melhor para o final

A Pâtisserie Douce France tem as criações ideais para a última parte da ceia

O francês Fabrice Le Nud, chef da pâtisserie Douce France, produz o Bûche de Nöel, doce tradicional do Natal na França, desde que veio ao Brasil, há cerca de 20 anos. Ele surgiu devido a uma antiga tradição popular ligada ao solstício de inverno. Nes-sa noite, que é a mais longa do ano, as pessoas se reuniam para se proteger dos maus espíritos, cada um levava uma peça de madeira para alimentar o fogo até que amanhecesse. O chef afirma que os ingredientes normalmente usados nessa receita não são os mais indicados para o Brasil, já que aqui é verão no Natal. “A sobremesa tem que ter uma de-licadeza especial para que fique apetitosa mesmo depois de toda a ceia. O objetivo é comer mesmo sem fome”, afirma Le Nud. A criação deste ano leva biscoito madalena de pistache, cremosa de choco-late branco com framboesas inteiras dentro, mousse de framboesa e finalização com glaceado especial, para que a sobremesa não perca umidade, oxide ou derreta, mas tenha aquele brilho natalino.
A framboesa é leve e tem o toque de acidez essencial para equilibrar com o chocolate branco. Os clientes poderão optar entre quatro tamanhos e cinco outros sabores, como o Griottil – biscoito madalena de chocolate, baunilha, chantily e cerejas ao álcool.

Pâtisserie Douce France
Jardins – Alameda Jaú, 554
Tel.: (11) 3262-3542
Tel.: (11) 2589-4375
Shopping Morumbi
Área Fashion – Piso Lazer Tel.: (11) 5189-4584
Centro – Rua Genreal Jardim, 182
Tel.: (11) 3017-5699 Ramal 560


 

La Vie en Douce

La Vie en Douce

O doce de Crema

Nos Jardins, a La Vie en Douce está cheia de surpresas para o natal

A chef Carole Crema já é conhecida por sua capacidade de recriar receitas e pela faceta vintage em suas invenções. Para este Natal, não poderia ser diferente. Em sua confeitaria, La Vie en Douce, ela apresenta a Árvore de Biscoitos – feita com bolachas crocantes de especiarias, cobertas com chocolate blend La Vie e polvilhados com açúcar de confeiteiro. Tamanha é a delicadeza da montagem que ela pode ser facilmente usada como enfeite de mesa, mas, claro, não deixe de degustá-la. Outras duas recriações da Carole são: uma repaginada Cuca – massa de bolo amanteigada, coberta com frutas frescas e farofa crocante com nozes e canela, doce brasileiríssimo, mas esquecido pelas confeitarias mais modernas. E outra, o Bombom de Cereja Fresca – duas cerejas envoltas por creme de bem-casado e cobertas com chocolate de origem amazônica. Na loja, os clientes encontram ainda Pavê de Figo com Nozes, seis opções de Mini Panetones para comer de colher, entre outras delícias com nozes, amêndoas, Nutella, frutas secas e todos os ingredientes mais desejados do Natal.

La Vie en Douce
Rua da Consolação, 3161 – Jardins
Tel: (11) 3088-7172


 

Confeitaria Marilia Zylbersztajn

Confeitaria Marilia Zylbersztajn

Nada mais natural

A jovem e premiada chef Marilia Zylbersztajn tem a alternativa gostosa e nutritiva para o natal

Assumindo toda sua identidade confeiteira, a sugestão da chef Marilia Zylbersztajn para o Natal é repleta de nutrientes e prioriza os orgânicos, como sempre – Bolo de Frutas Secas e Nozes. Antes de cursar confeitaria na Le Cordon Bleu, em São Francisco, e trabalhar na cozinha do D.O.M., Marilia exercia a profi ssão de sua primeira formação, a Psicologia. Mas a paixão e o talento a levaram até sua própria confeitaria em 2014, que, já no ano seguinte, foi eleita a melhor doceira da cidade pela Veja São Paulo, além de suscitar elogios do público e de críticos. Seguindo seu estilo de doces pouco doces, a criação natalina da chef prioriza o volume de frutas secas no bolo. Elas fi cam embebidas 48 horas em cachaça envelhecida, superaromática. “Faz muito mais sentido usar uma bebida nacional que tem muita qualidade, do que o conhaque, por exemplo”, diz ela. O bolo é bem durável, por isso Marilia sugere como presente ou para guardá-lo em casa e oferecer às visitas.

Confeitaria Marilia Zylbersztajn
Rua Fradique Coutinho, 942 – Vila Madalena
Tel.: (11) 4301-6003


 

Boulangerie e Pâtisserie Chez Moná

Boulangerie e Pâtisserie Chez Moná

Árvore de chocolate

Da França para sua ceia em São Paulo, a Chez Moná tem opções de doces típicos e deliciosos

A chef Mona Lisie Milan, que em 2013 abriu a Boulangerie e Pâtisserie Chez Moná, é capaz de pôr a França em sua mesa de Natal. Mais uma vez, ela teve a inspiração em uma de suas incontáveis viagens a Paris para os cursos de confeitaria que frequenta. Sapin Au Chocolat é uma estrutura, inteira comestível, de discos de chocolate Callebaut 50% de cacau, ornamentada com variadas frutas secas e castanhas. Podem ser damasco, nozes, pistache, castanha de caju, avelã maça, physalis etc.

O doce é superdelicado, perfeito para enfeitar e dar graça na mesa natalina. Para fazê-lo, a chef demora até três dias. “A confeitaria é diferente da cozinha normal. Não pode ter erros. Com qualquer mudança, perde-se tudo”, explica Mona. Mas ela está habituada à cozinha francesa, passou a infância na cozinha da avó franco-suíça apaixonada por culinária. Lá viu pela primeira vez o Bouche de Noël, doce que parece um rocambole no formato de tronco de árvore, tradicionalíssimo em muitas famílias francesas. Por isso, foi à França para aprender a fazê-lo. Na Chez Moná, esse e outros diversos quitutes, além de delícias salgadas, formam uma das atmosferas mais parisienses de São Paulo.

Boulangerie e Pâtisserie Chez Moná
Rua Capitão Antônio Rosa, 394 – Jardim Paulistano
Tel.: (11) 3081-3234, 3081-3299


 

Dona Doceira

Dona Doceira

Sabor histórico

Graciosos e gostosos doces de origem goiana

Em 2015, a Dona Doceira, criação da artesã Adriana Lira com o objetivo de retomar os tradicionais doces do interior goiano, sua terra natal, chegou a São Paulo. A doçaria do estado de Goiás tem contornos bem particulares, a principal matéria-prima, por exemplo, são as frutas. Adriana fez um longo processo de pesquisa com antigas doceiras da cidade de Goiás Velho para chegar a essas receitas típicas, mas pouco conhecidas fora desse estado, e seu correto modo de preparo. Para o Natal ela destaca a Flor de Coco de Damasco. “Damasco é um ingrediente supernatalino, que está presente em quase todas as mesas, junto com outras frutas secas”, afi rma Adriana. Essa é uma releitura da fl or de coco goiana, elas são feitas a mão, uma a uma, dobrando fi tas de coco cozidas em calda de açúcar, em um processo que demora 28 minutos, carregam grande carga afetiva. “Adicionar damasco na calda, foi uma forma de deixar o doce com cara de festa de fi nal de ano, através de um ingrediente superemblemático”, diz a artesã. E ela tem uma série de outras delicadas delícias para o natal, como Limõezinhos Recheados, cascas de limão galego orgânico, tratadas para perderem o amargor, ganham recheios natalinos como creme de castanhas portuguesas ou Suspiros em fl or, são sanduichinhos de suspiro com brigadeiro de nozes ou de vinho do Porto no meio. Em São Paulo, os quitutes e bolos têm venda apenas sob encomenda.

Dona Doceira
Atelier (apenas com agendamento)
R. Cerro Corá, 1079
Tel.: (11) 2157-6114 (11) 99227-7361


 

Ópera Ganache

Ópera Ganache

Pedaço da Ópera

Para presentear ou saborear a confeitaria Ópera Ganache criou uma nova faceta para o panetone

Da parceria inventiva entre Rafael Barros, experiente confeiteiro e proprietário da Ópera Ganache, e Renato Blinter, confeiteiro chef da casa, surgiram os Cubos de Panetone Banhados em Chocolate. De uma ideia de releitura do tradicional panetone, muito usado para presentear, apareceu a necessidade de algo mais prático e durável, mas que não deixasse de representar o natal.

“O panetone é icônico, mas queríamos algo diferente”, conta Blinder. A tradicional massa de panetone da casa, artesanal e de longa fermentação, é feita sem frutas cristalizadas, depois cortada em tamanhos de uma mordida e fi nalizada com um banho de chocolate meio amargo para formar uma casquinha, fazendo pequenos cubos. “Eles não perdem a umidade da massa por causa do chocolate. Pode-se comer um por vez. E quando o último for comido estará tão bom quanto o primeiro”, diz Blinder. Uma caixinha deles tem 400 gramas de cubinhos. A confeitaria ainda oferece opções tradicionais de natal:
Biscoito Boneco “Gingerbread”, Pirulitos de Natal, Bombons coloridos tema Natal, etc.

Ópera Ganache
Rua Augusta 2542 loja 5 e 6
Cerqueira Cesar
Tel.: (11) 3062-7161