Italianos da gema

cordeiro4_abre

Conheça o Pina e o Pasquale, dois restaurantes comandados por chefs italianos que mantêm a tradição de suas regiões de origem nas delícias que preparam, do antepasto à sobremesa

Pina1Visitamos dois “italianos da gema” que valem a visita. O Pina é um restaurante pequeno, com apenas 60 lugares, mas aconchegante e muito simpático onde se prova o sabor típico da Itália, mas com uma proposta de “Toscana moderna”. Aliás, o nome do restaurante é uma homenagem à mãe do chef Riccardo Rossi, que é um italiano alto e simpático da Toscana que já passou por cozinhas na Itália, Rússia, Estados Unidos e, depois de se encantar por uma brasileira, adotou o Brasil. Ex-Trinità, na Vila Olímpia, ele resolveu abrir o próprio restaurante em maio do ano passado com sua marca registrada: um menu com receitas italianas tradicionais aliados a pratos autorais de muita personalidade, sabor e tempero mediterrâneo.

Chef Riccardo Rossi!
As massas são extraordinárias, feitas no próprio restaurante, como o pici, pasta típica da Toscana que é sempre uma ótima pedida. Os risottos também são especiais, inclusive nos pratos nos quais acompanham carnes e frutos do mar. Riccardo também faz questão de desenvolver pequenas surpresas, que vão mudando conforme a estação, como um recheio de pera com queijo pecorino ao molho de mel e canela ou um menu temático baseado em trufas negras.

 

20160513_134415De entrada, não deixe de provar a Burrata de búfala com bruschettas ou a Battuta de angus e trufa negra com croutons de pão e azeite da fazenda do Chef na Toscana. No menu, experimentamos Risotto de alcachofra e zafferano com pernil de cordeiro e molho de ervas mediterrâneas e o Ravioli de flor de abobora e parmigiano reggiano ao camarão rosa.

 

 

 

A carta de vinhos é enxuta, mas elaborada para harmonizar com rótulos do Chile, Itália, França e Portugal. Destaque também para as sobremesas com leituras absolutamente próprias, como o Tiramisu, que vem com uma consistência mais líquida, com café gelado. O Pina também tem almoço executivo com pratos que mudam constantemente. Vale, portanto, várias visitas…

 

AmbienteOutro representante dos típicos italianos é a Cantina Pasquale, um pedaço da Púglia no Brasil. O restaurante abriu em 2001 pilotado pelo chef Pasquale Nigro, esposa e o filho Giorgio, que também é um talentoso chef, com o objetivo de servir antepastos caseiros num ambiente familiar. Porém, os amigos insistiram e ele acabou incluindo no cardápio massas que seguem as receitas de seu avô, fundador e também chef do “albergo e ristoranti minerva”, o primeiro hotel e restaurante de sua cidade natal, Minervino Murge, na Púglia, Itália.IMG_3663
Não precisa dizer que em pouco tempo o Pasquale conquistou muitos clientes fiéis, italianos da gema e admiradores da legítima comida italiana. Só para citar alguns exemplos, atualmente a casa oferece antepastos feitos lá mesmo como a sopressata, um embutido típico italiano curado com carne suína, e a burrata, mozzarella fresca feita com leite de vaca (em vez de búfala) e recheada com creme de leite.

20160705_213835Cada prato tem um molho de tomate diferente (são mais de 20 tipos), preparados pelo próprio chef. Entre os pratos, o ragu de cordeiro servido com orecchiette, massa pugliesa, é cozido lentamente por seis horas, seguindo as tradições que passaram de geração em geração. Já um dos carros chefe da casa, o Pérola Negra (uma referência à escola de samba paulistana que Pasquale ajudou a fundar), leva ingredientes típicos da culinária italiana: massa, mozzarella de búfala, tomate, manjericão, queijo pecorino ralado, azeitonas pretas, azeite e pancetta.
O restaurante tem uma criteriosa carta de vinhos, guardados em uma adega climatizada, com rótulos inclusive da Puglia. Aliás, em nosso jantar pedimos o Eccolo, vinho produzido especialmente para a casa pela vinícola Saladini Pilastri, em Marche, região central da Itália, e rótulo desenhado pelo ilustrador José Carlos Lollo, antigo cliente da cantina. É feito com 50% de uvas Sangiovese e 50% de Montepulciano d’Abruzzo, com nove meses em barris de carvalho francês. O resultado é excepcional, combinando perfeitamente com os pratos do restaurante.

 

antepastos variados_4Por falar nisso, de entrada, pedimos um mix de antepastos que já valeu o jantar, com alcachofra, alichella, sardela, atum e bacalhau em conserva, azeitonas, tiras de berinjela e abobrinha, caponata, gorgonzola com pimenta doce, pimenta verde, sopressatta, linguiça curada e a deliciosa burrata.

tiramissu_0016 3 (1)Nos pratos, provamos a Paleta de cordeiro ao molho, com rigatoni ao sugo e brócolis aglio e óleo, Ravióli de camarão feito na casa com molho de limão siciliano e o Spaghetti Mollica ao aglio e óleo com alice, catalogna e pão ralado. De sobremesa, não resistimos aos encantos do Tiramisu. Stupendo!

 

 

 

A decoração do Pasquale é inspirada nos vilarejos italianos, com as tradicionais janelas com flores, e no vinho, com um mosaico de caixas cobrindo a parede e um teto inteiro de rolhas que o chef Pasquale garante que foram consumidas no próprio restaurante. Estes detalhes tornam o ambiente desta charmosa cantina da Vila Madalena um destino obrigatório para os amantes da vero gastronomia Italiana.

Pina
Rua Jacurici, 27 – Itaim Bibi – Tel.: (11) 3071-2501

Pasquale
Rua Girassol, 66 – Vila Madalena – Tel.: (11) 3081-0333