Aulas de costura voltam à moda

O Ateliê Rainhas da Costura, em São Paulo, atrai cada vez mais alunas interessadas em linhas e agulhas

por Juliana Marchioretto

A moda do ‘faça você mesmo’ chegou pra ficar. Prova disso é a procura, cada vez maior, por atividades como gastronomia,artesanato e costura, incluindo tricô, crochê, patchwork e craft. Muito antes desse boom, Patricia Cardoso já dava seus pulinhos no mundo da costura e fabricava peças lindas com a Oh Maria!, marca de marca de acessórios handmade criada por ela, que produzia bolsas, cases para notebook e Ipads, mochilas, presentes etc. A marca existiu por cinco anos está parada há cerca de um, por falta de tempo da proprietária.

O que ocupa o tempo de Patricia agora é o ateliê Rainhas da Costura, um espaço dedicado a aulas e oficinas sobre o universo das linhas e agulhas. O espaço surgiu com a procura das próprias clientes da moça, que, além de comprar as bolsas da Oh Maria!(personalizadas, feitas em tecidos coloridos e modernos e com acabamento de primeira), pediam dicas de como criar e customizar peças.

A ideia foi crescendo e tomando forma e atualmente o ateliê conta com três profissionais: Patricia, Eliane, a sócia que abraçou o projeto desde o início e Elis, uma professora faz-tudo, estudante de moda.  A proprietária do espaço conta que há muito tinha vontade de dar aulas, mas o projeto começou de verdade no início de 2011, por insistência de duas amigas, que queriam aprender a costurar. “Eu notei que as pessoas que estavam no meu meio não queriam aprender a costura industrial (como eu estudei), mas que eu poderia passar um pouco do que sabia, pois tinha bastante experiência em costura “craft”, isto é: presentes, lembrancinhas, peças para uso pessoal. A partir daí fui “montando” o curso”, conta.

Ela já perdeu as contas de quantas alunas já teve, mas adianta que as aulas que fazem mais sucesso são as de peças de roupas. “Me surpreendi muito com o sucesso do ateliê. Graças a Deus temos retorno de um trabalho que nos exige tanto. Aqui, trabalhamos demais para conseguir deixar as coisas da melhor maneira possível e ter um retorno disso é bacana demais. Ver as pessoas felizes porque conseguem fazer coisas para os filhos, consertar alguma roupa, decorar a casa, isso é muito gratificante”, diz Patricia, que explica que a maioria das alunas são mulheres adultas, com mais de 25 anos, formadas e que trabalham na área de atuação. Grande parte atua nas áreas de comunicação e design.

O melhor de unir o público e a costura? “O envolvimento emocional que as pessoas têm entre suas vontades e suas mãos. Ver uma menina que nunca passou a linha na máquina fazer um projeto inteiro, entender e pensar costura, é incrível”, finaliza Patricia.

http://www.rainhasdacostura.com