Heitor Drapier, o cicerone da moda

Já pensou sentar-se nas primeiras filas dos desfiles das semanas de moda de Nova York, Milão e Paris e ainda contar com a consultoria de um expert que analise suas roupas para que você possa ser alvo das lentes dos fotógrafos de street style? Pois saiba que esse sonho pode se tornar realidade. O novo must entre as endinheiradas
do eixo Rio-São Paulo é contratar o empresário Heitor Drapier para colocar em prática todos seus desejos fashionistas.

Por: Malu Bonetto

Nascido no Rio de Janeiro, o empresário Heitor Drapier, 48 anos, resolveu abandonar a faculdade de Biologia Marinha e seguir carreira na área de moda. Durante 16 anos, foi diretor das lojas da Armani na Holanda, e, hoje, com a HD Lifestyle, oferece serviços exclusivos dentro do mundo fashion, como personal shopper e consultor de imagem. Mas ele, que atualmente mora em Washington (EUA), está ganhando fama mesmo é com a Fashion Week Luxury Experience – roteiro que garante passe livre para desfiles e eventos que rolam durante as semanas de moda internacionais.

GW: Como surgiu sua paixão pelo mundo da moda?
HD: Sempre gostei do mundo da moda, da parte criativa desse mundo. Aliás, de uma forma geral, a beleza sempre me fascinou. Tenho três irmãs e todas trabalhavam com moda ou publicidade. Em 1989, resolvi abandonar a faculdade de Biologia Marinha e fui morar uns meses em São Paulo com minha irmã mais nova, que trabalhava como modelo e estava com a carreira em ascensão. Durante esse tempo, me envolvi no mundo dos modelos e consegui um contra-to com a Jetset, uma agência paulista.

GW: Por que decidiu trilhar carreira fora do Brasil?
HD: Conheci vários modelos holandesas que, junto com amigos que moravam em Amsterdã, me incentivaram a mu-dar para a Europa. Fui para a França e logo depois para Amsterdã, onde fiquei por 25 anos. Eu me naturalizei holandês e tenho casa lá até hoje. Atualmente, moro em Washington, uma decisão que tomei junto com meu parceiro.

GW: Rolou um frio na barriga de ficar longe da família?
HD: Sou muito apegado à família, e a ideia de morar tão longe dos meus pais e irmãos era aterrorizadora. Só que a vontade de explorar o mundo sem ter que dar satisfações para ninguém era muito tentadora.

GW: Como começou sua trajetória profissional?
HD: Era diretor de uma loja do grupo Planet Hollywood quando um amigo me chamou para entrar no grupo da Armani. Ele me disse que era um grupo onde eu tinha chances de crescer, mesmo começando por baixo. Primeiro pensei: sou hoje um diretor com tantos privilégios, o que vou fazer começando por baixo? Como isso impactaria minha vida financeira? Qual seria meu objetivo? Mas, tendo já trabalhado três anos com o Planet Hollywood, decidi tentar o desafio.

GW: Como foi a experiência de ser diretor das lojas Armani por 16 anos?
HD: Comecei por baixo, era conselheiro de moda, termo que eles usam para se referir aos vendedores. Aprendi muito, pois nunca havia trabalhado numa loja de artigos de luxo, em que os profissionais devem fazer muito mais que somente vender uma roupa. Tive que aprender sobre alfaiataria e tecidos, como alterar ternos, apertar calças e ascendi rapidamente. Em um ano, fui promovido a visual merchandiser e logo depois a assistent manager. Dois anos depois virei assistent buyer. Aí a parte divertida do trabalho começou, com viagens para as fashion weeks e dias e mais dias em Milão, onde a mágica acontecia. Esbarrava com as pessoas mais criativas e, de vez em quando, até com o Mr. Armani no showroom. Trocávamos poucas palavras, mas a minha admiração pelo maestro, como ele é chamado, ficava cada vez mais forte. Logo depois, minha diretora foi chamada para outro cargo e, consequente-mente, fui promovido.

GW: A que atribui ter se destacado em tão pouco tempo?
HD: Por termos resultados finais de vendas altíssimos, minha opinião começou a ser escutada e fui convidado para encontros com os times em Milão. Fui criando uma amizade forte com todos no showroom, desde a camareira até o diretor. Montei duas flagships na Holanda e cuidava de uma das lojas mais lucrativas por metro quadrado na Europa.

GW: Seu contato pessoal com o Giorgio Armani foi breve, mas deve ter sido inesquecível…
HD: Ele é uma figura quase intocável e muito ocupada. Mesmo com seus 86 anos, trabalha da mesma maneira. Às vezes, o encontrava tarde da noite no showroom ou então controlando as vitrines da Via Manzoni, para ver se tudo estava como ele gosta. E, se não estivesse, pode ter certeza de que, não importasse a hora, alguém vinha e fazia como ele queria.

GW: O que aprendeu com o Armani?
HD: Se você quer ter sucesso, não mande alguém fazer, faça você mesmo. Não confie que vão fazer como você quer, tenha sempre o controle. Aprendi com ele também a ser perfeccionista e a cuidar da minha saúde. Conheci pessoas incríveis com quem ainda mantenho contato, e agora, com a HD Lifestyle, sigo envolvido.

GW: Sempre teve o sonho de montar uma empresa nos moldes da HD Lifestyle?
HD: Tudo começou por acaso… O plano inicial era montar uma boutique luxuosa de fragrâncias, já que sou fascinado por cheiros – ou melhor, por bons cheiros. Mas aí, minha irmã, que trabalhava para um banco em Nova York, me ligou perguntando se poderia ajudar uma cliente dela como personal shopper de bolsas. Esse serviço foi crescendo de uma forma tão orgânica e forte que, em poucas se-manas, estava fazendo todas as compras dessa cliente. Ofereci a ela, por saber que tinha um gosto muito exclusivo para moda, assistir aos shows durante as fashion weeks de Milão e Paris.

GW: Quais são os serviços oferecidos pela HD Lifestyle?
HD: A HD Lifestyle oferece serviços de personal shopper, organização de viagens, consultoria de imagem e o Fashion Week Luxury Experience, que é uma experiência durante as principais semanas de moda do mundo. Podemos também, a pedido do cliente, analisar seu guarda-roupa e fazer alterações para que ele construa uma imagem pública mais forte e definida. Sobre viagens, organizamos um pacote customizado e cuidamos de tudo – desde as passagens e reservas de hotel até o ingresso de atrações. Também acompanho aos shows, levo às festas VIPs, promovo encontro com estilistas famosos…

GW: Como as clientes ficaram sabendo do Fashion Week Luxury Experience?
HD: Normalmente, elas nos procuram para que a gente atue como personal shopper ou faça a consultoria de imagem. E, depois que nos conhecem, acabam descobrindo esse outro serviço. Mas o boca a boca é fundamental também. Uma pessoa contrata, gosta e comenta com outra pessoa.

GW: Como você consegue ter uma agenda tão seleta?
HD: Foram 16 anos nesse meio, né? Faço parte de um grupo em que, praticamente, todas as pessoas são criativas, estão envolvidas com criação ou têm a sorte de serem bem posicionadas profissionalmente e pessoalmente. Sou querido por estilistas, modelos e agradeço, todas as noites antes de dormir, por ter a vida que tenho.

GW: Das diversas experiências que já propiciou, qual foi a mais difícil de realizar?
HD: Colocar a cliente na primeira fila do show da Chanel, seguido de um almoço privado no Louvre. Ah, também consegui um tour no Louvre para a cliente junto aos VIPs da Chanel. Isso foi uma experiência incrível.

GW: E teve algum pedido que não conseguiu realizar?
HD: Alguns desfiles, como os de alta-costura, ainda estão na minha to do list, pois são bem complicados de conseguir convites. Os desfiles de alta-costura da Dolce & Gabbana, por exemplo, são assistidos por não mais do que 300 pessoas. Mas quem sabe não estou lá futuramente?

GW: Você fica 24h à disposição do cliente?
HD: O tipo de cliente que paga por exclusividade não conhece horários. Acho que isso responde sua pergunta.

GW: Quais famosos e personalidades da alta sociedade brasileira já procuraram seus serviços?
HD: Assessorei a digital influencer Martina Ritter durante a Semana da Moda Feminina de Milão e, mais recentemente, a socialite Ana Paola Diniz, herdeira da família fundadora do Grupo Pão de Açúcar. Durante a sua Fashion Week Luxury Experience, estivemos duas se-manas e meia viajando entre Milão e Paris. Foi muito intenso, pois queria mostrar a capacidade dos serviços e foi um corre-corre danado. Foram 18 desfiles, além de shows e festas exclusivas.

GW: Para finalizar: quanto cobra por um serviço como o do Fashion Experience?
HD: Depende do pacote que fecho. Por exemplo, tenho clientes que se interessam somente pelos shows e não pela badalação que envolve a semana da moda. Outros querem pacotes inteiros como: fashion shows, festas e atendimentos VIP das marcas. Oferecemos toda a assessoria em relação à imagem e ao transporte. Carros de luxo, hair & make-up e até fotógrafos estão em alguns pacotes. Logo, depende do desejo e até de quanto gostariam de pagar por essa experiência de luxo.