Clássicos Inesquecíveis

Andando na frente, mas com um olho no retrovisor, o GM Heritage Center, nos arredores de Detroit, não só fascina os apaixonados por automóveis como surpreende pelo acervo inestimável de quase 600 veículos históricos que a montadora preserva de forma excepcional. Conhecer o patrimônio das marcas que revolucionaram toda uma época, como Cadillac, Oldsmobile, Pontiac, GMC, Chevrolet e Buick, é um mergulho no tempo. Em exposição, 200 deles estão num grande galpão iluminado. De três em três meses, é feito um rodízio dos carros expostos para o público.

Suburban

Suburban

Por: Luciano Garcia, de Detroit 

Desde o início, a Cadillac se estabeleceu como líder em inovação e design. O pioneirismo se deu também principalmente na motorização. O potentíssimo V8 que equipa o Cadillac Type 51 de 1915 é prova disso.

A joia da coroa é o Chevrolet Cadillac V16, ano 1931. O modelo ganhou destaque pelo sofisticado estilo e pelo poderoso motor de 165 cavalos de potência, um ineditismo na década 30. Por isso, caiu nas graças de celebridades do esporte e do entretenimento. Esse modelo lembra um raro momento em que os motoristas podiam colocar sua marca pessoal em quase todos os detalhes de seu automóvel. Uma época de ouro para o mundo automotivo.

Fletwood

Fletwood

Em 1936, a Chevrolet inventou o primeiro SUV, a Suburban. O conceito das station wagons começou por ela. Quando as estradas ainda eram empoeiradas e os carros barulhentos e lentos, a ferrovia era o mais popular meio de transporte para longas distâncias. Os primeiros modelos da Suburban foram construídos sobre um chassi de carro com uma seção traseira de madeira. Isto criou o espaço extra necessário para acomodar vários passageiros e suas bagagens quando eles fossem recebidos nas estações de trem, daí o nome: station wagon.

O modelo Cadillac Fleetwood oferecia dezessete diferentes modelos de motor V8 em 1937. Eles estavam disponíveis com carrocerias Fisher e Fleetwood com três distâncias entre eixos diferentes – como a Fleetwood Series 75 para cinco passageiros Tronco Sedan.

O Cadillac Type 51 de 1915

O Cadillac Type 51 de 1915

Em 1938, a imprensa noticiou o lançamento do Y-Job da Buick como o “carro do futuro”. Mais do que a criação do primeiro carro-conceito da indústria, o veículo projetado por Harley Earl trazia faróis escondidos, capota conversível escondida por uma plataforma de metal e janelas operadas eletricamente.

Os 115 cv de potência do 933 Cadillac 355C V8 revolucionou o sistema de suspensão daquela época por ter um projeto que alternava, com até cinco configurações no painel, o tipo de amortecimento do veículo em cada terreno.

Aviões e foguetes foram as principais fontes de inspiração no processo criativo dos protótipos, como os Firebird, dos anos 50. Ao contrário de um avião a jato, que desenvolve impulso através da ação dos gases de escape através de um cone de cauda, o motor Turbo-Power Whirlfire impulsionava o Firebird 1 através de uma turbina de energia, agindo nas rodas traseiras através de uma transmissão. O motor era capaz de atingir inacreditáveis 370 cv!

Buick Y1 1938

Buick Y1 1938

No museu, há modelos adoráveis, como a Canopy Express da GMC, de 1951. Esse caminhãozinho de frutas de meia tonelada era construído de acordo com a especificação do cliente. Foram vendidos mais de 100 mil em 1951. Entre os esportivos, as gerações do Corvette, um dos símbolos da indústria americana, estão todas lá. O primeiro foi chamado de EX122 e foi criado em 1953. Apenas 30 unidades dele foram fabricadas.

O Chevrolet Nomad, de duas e quatro portas, ficou célebre em 1957, sendo muito procurado por colecionadores. Mas quem marcou mesmo várias gerações foi o icônico Bel-Air 1957, um dos mais desejáveis e respeitáveis carros da Chevrolet até hoje.

 

Firebird 1

Firebird 1

E é impossível não mencionar o Eldorado 1959, um dos representantes mais conhecidos da geração “rabo de peixe”, famosa pela traseira com desenho peculiar, símbolo da golden age da indústria automobilística norte-americana. O moderno motor V8 atingia até 193 km/h. O sistema de cruise control foi instalado pela primeira vez em um modelo Cadillac. Este conversível é um dos carros mais admirados pelos colecionadores.

O Brasil está representado pela picape Chevrolet Brasil 1960, que pertencia ao Museu da Universidade Ulbra do Rio Grande do Sul. Ela participou da “Old Way Expedition”, uma viagem de 38 dias e mais de 16 mil quilômetros do Brasil até Detroit. Em 1966 o Chevrolet Electrovair II foi a segunda tentativa pós-guerra da montadora na criação de um veículo elétrico viável e competitivo. Estão expostos também os Camaros, desde a primeira geração: um poderoso exemplar 1967, utilizado como pace-car nas 500 Milhas de Indianápolis, até o carro-conceito de 2006, que deu origem à geração que tanto vemos pelas ruas hoje em dia.

Eldorado Biarritz

Eldorado Biarritz

Os anos 70 ficaram famosos pelos chamados “muscle-cars”, como o Chevrolet Chevelle SS, Pontiac GTO e o Buick GSX.

Não apenas raridades estão no acervo, mas também carros–conceito que anteciparam tendências e ficaram famosos. O concept-car Chevrolet Corvette Stingray foi introduzido no Salão de Chicago de 2009 e inspirou os cinco personagens do filme Transformers.

Programe sua visita

O Heritage Center não está aberto para visitas como um museu comum, mas pode ser visitado por grupos, mediante agendamento.

General Motors Heritage Center
6400 Center – Sterling Heights, MI 48312, Estados Unidos
www.gmheritagecenter.com



1953 Chevrolet Corvette

classicos9VEDETE DO SALÃO

O primeiro modelo Corvette foi chamado EX- 122 e exibido pela primeira vez no Waldorf Astoria, em janeiro de 1953. O EX-122 foi um sucesso instantâneo. Apenas 300 foram construídos – praticamente à mão. No primeiro ano, esse Corvette estava disponível somente na cor branco polar e interior vermelho. Hoje, todos os modelos Corvette são altamente valorizados e objetos de colecionadores, com valores sempre na faixa de seis dígitos.

O Corvette é tão americano como hot dog, beisebol e Apple Pie.