A volta de Maria Fernanda

maria fernanda

Há um ano longe do público, a atriz Maria Fernanda Cândido fala sobre o filme “Meu Amigo Hindu”, que marca o retorno de Hector Babenco na direção de um longa-metragem

Por: Malu Bonetto

 

Meu amigo hindu

Maria Fernanda Cândido com o ator Willem Dafoe, em cena do filme “Meu Amigo Hindu”

Dona de uma beleza clássica, Maria Fernanda Cândido começou ainda muito jovem, aos 14 anos, sua carreira de modelo e passou a trabalhar em desfiles e campanhas. Aos 18 anos, morou quatro meses em Paris e mais quatro em Nova York. Quando voltou ao Brasil, decidiu que não queria seguir no mundo da moda e entrou para a faculdade de Terapia Ocupacional, na USP. Quando faltava pouco para se formar, recebeu o convite para ser VJ na MTV e resolveu fazer cursos para melhorar a voz e a interpretação. Depois de algumas participações em novelas, foi escalada, em 1999, pelo diretor Jayme Monjardim para viver seu grande primeiro papel televisivo, a italiana Paola, na novela “Terra Nostra”. Depois disso, não parou mais!

Depois de um ano longe do público – seu último trabalho foi na minissérie  “Felizes para Sempre?”, ela volta com tudo no longa-metragem Meu Amigo Hindu”, que estreia dia 3 março nos cinemas brasileiros. Com roteiro assinado por Hector Babenco, o filme parece uma biografia do diretor, já que ele mesmo lutou anos contra um câncer linfático, mas – como o próprio Babenco faz questão de deixar claro –, essa foi apenas uma maneira que quis contar o que viveu. Interpretando a esposa do protagonista, Maria Fernanda Cândido ainda divide a cena com o astro americano Willem Dafoe e os brasileiros Selton Mello, Bárbara Paz e Reynaldo Gianecchini.

“Trabalhar com o diretor Hector Babenco me fez reafirmar

os porquês da minha escolha profissional”

maria fernanda candido

Maria Fernanda é uma das protagonistas do novo filme de Hector Babenco

O longa conta a história de Diego (Willem Dafoe), um bem sucedido diretor de cinema que, ao saber que sofre de uma doença que pode ser fatal, casa-se com Lívia (interpretada por Maria Fernanda Candido), mulher com quem vivia há muitos anos. Junto com ela, passa muito tempo no hospital em função do tratamento e é nesse cenário que ele conhece um menino hindu, que se torna seu mais novo amigo. Diego recebe alta, seu casamento acaba e ele chega a se questionar se não estaria morrendo, até que conhece uma nova mulher, Sofia (vivida por Barbara Paz). “O filme fala sim da morte, mas é um filme sobre a vida, sobre a arte”, diz a atriz Maria Fernanda Cândido.

Quando decidiu rodar o filme, Babenco chamou Maria Fernanda para fazer o teste de uma personagem que seria pequena. Em seguida veio a leitura com o ator Willem Dafoe e todo o elenco. “Mas na hora, vi que a personagem que eu deveria ler era a Lívia, a mulher do Diego. Ela é uma mulher que cuidou do marido no momento que ele mais precisou. Abriu mão de sua vida pessoal, deixou o filho de lado, deixou de trabalhar para ficar com o Diego. Fez tudo isso por amor, mas o casamento deles. Talvez, a doença em si não tenha sido o motivo dessa separação mas, pensando bem, talvez tenha colaborado para isso, já que um relacionamento não passa impune a uma doença desse porte. Foram anos de tratamento, acho que o desgaste, as situações em que eles se encontraram, de hospital, de tratamento, doença, de beira da morte, tudo colaborou”, filosofa Maria Fernanda Cândido sobre a história da sua personagem.

Além do desafio de interpretar um papel tão denso, Maria Fernanda teve de fazer o filme inteiro em inglês. “Não foi um empecilho, acho que se o elenco está conectado, fazendo algo acontecer, flui naturalmente”, conta.