As vitórias de José Loreto

ze

Depois de sua participação para lá de apimentada na última temporada no programa Amor & Sexo, José Loreto se prepara para voltar a televisão como o Adônis, na novela Haja Coração, da Rede Globo, e no cinema como o lutador de MMA José Aldo, no filme Mais Forte que o Mundo

Por Malu Bonetto

Fotos Rodrigo Calazans/Divulgação

 

Jose LoretoO ator José Loreto, 31 anos, sempre foi vitorioso diante das batalhas da sua vida. Aos 14 anos descobriu que tinha diabetes e desde então vem controlando a doença com esporte e alimentação saudável. Foi com essa mesma dedicação que emagreceu 5 kg para interpretar o lutador José Aldo mas essa não foi a única dificuldade encontrada pelo ator. “O maior desafio, talvez, tenha sido fazer um personagem que é fisicamente muito diferente de mim, além de ser uma pessoa ainda viva e mais jovem do que eu. A caracterização também foi bastante trabalhosa, demorava, em média, duas horas, mesmo porque Aldo sofreu um acidente quando tinha menos de um ano e ficou com uma cicatriz no rosto. Também tem as tatuagens, as orelhas disformes, tive que escurecer o cabelo e a barba”, lembra o ator que se prepara para viver seu primeiro protagonista na telona.

O longa Mais Forte que o Mundo – A História de José Aldo, que estreia dia 16 de junho, mostrará a trajetória de superação do lutador brasileiro de MMA, desde sua pobre infância na periferia de Manaus, passando por sua mudança para o Rio de Janeiro, seu primeiro amistoso no Macapá, até o título mundial no UFC na categoria peso pena. “José Aldo é um supervencedor, o melhor lutador de todas as categorias, melhor atleta no segmento, o mais completo. Teve uma origem que dificultava em tudo a sua evolução. Era conflito em casa, familiar, de renda e, apesar de todas as dificuldades, ele conseguiu vencer, ultrapassar todos os obstáculos que apareceram com muita gana e ainda manter a humildade e o pé no chão, o que acho incrível. Com certeza ele é uma pessoa muito persistente”, derrete-se Loreto, que tinha como principal objetivo na construção do personagem, procurar a essência daquele ser humano. “Conhecê-lo me ajudou muito, queria saber quem era o Aldo de verdade e não só o lutador que aparece para todo mundo. Queria saber o que o motivava e, acabamos virando amigos, e a minha admiração por ele como atleta só aumentou”.

“O maior desafio, talvez, tenha sido fazer um personagem que é fisicamente muito diferente de mim, além de ser uma pessoa ainda viva e mais jovem do que eu.

O longa conta ainda com a participação de Cleo Pires como Vivianne Oliveira (mulher do lutador), Rafinha Bastos como o lutador Marcos Loro, e Paulo Zulu, o professor de jiu jitsu Mestre Marcinho. Rômulo Neto, Paloma Bernardi, Felipe Titto e Thaila Ayala completam o elenco ao lado de Jackson Antunes e Claudia Ohana que interpretam os pais de Aldo. “Essa relação pai e filho foi uma das relações mais complexas que eu já tive como personagem. Considero o pai como o herói e o vilão do Aldo. Não poderia ter tido um pai melhor na ficção, ele me abraçou dentro e fora das filmagens. Um cara por quem eu já tinha muita admiração e agora tenho mais ainda mesmo porque ele me ajudou muito a construir essa relação”, conta o ator que for a das telinhas e telonas também planeja um filho com a esposa, a também atriz Débora Nascimento.