Digital influencers falam sobre o desafio de ser mãe

Há mulheres que dizem que nasceram para ser mãe, outras adquiriram essa vontade ao longo da vida. Mas uma coisa é unânime: a maternidade é algo transformador. E foi justamente sobre essas mudanças na vida que quatro digital influencers falaram nessa entrevista para Go’Where Luxo.

Por: Malu Bonetto

Carol Celico, Luca e Isabella

Carol Celico sempre sonhou em ser mãe e queria ter um me-nino e uma menina. “Fui abençoada em ter esse sonho realizado. Criei meus filhos muito próxima deles, quando o Luca nasceu não morávamos no Brasil, nem tínhamos familiares perto e ele não teve babá fixa até os três anos de idade. Quando a Bella chegou, uma babá começou a me ajudar com os dois e ela está até hoje na minha casa, é uma fiel escudeira”, conta Carol, cujos filhos são fruto do relacionamento com o ex-jogador de futebol Kaká. Os filhos Luca, 9 anos, e Isabella, 6, sabem que a mãe é bem rígida com as regras da casa: ela proíbe o uso de eletrônicos de segunda a quinta-feira, faz com que durmam cedo e comam legumes, verduras e frutas. “Falo para minhas amigas que ser mãe não é só uma delícia. A maior parte do tempo é desgastante em função do trabalho que dá educar, e não existe um dia sequer que podemos desligar o botão e não ser mais mãe. Mas um simples sorriso, ou ver quem meus filhos estão se tornando, faz tudo valer muito a pena”, diz Carol, que mostra aos dois a importância da filantropia através das ações que realiza na Fundação Amor Horizontal. “Eles sabem o que faço, perguntam sobre as crianças e separam roupas e brinquedos para levarmos a quem precise.”


Carol Magalhães e Eduardo Guinle

Aos 38 anos e conhecida por sua excelente forma física – que exibe tranquilamente nas redes sociais -, Carol conta que sempre se preocupou com a saúde, fato que a ajudou a eliminar rapidamente os 11 kg que ganhou durante a gestação de seu filho, Eduardo, que está com 17 anos e que muita gente pensa que é seu namorado. “A maternidade mudou minha vida por completa. Sou uma pessoa menos egoísta porque primeiro vem meu filho e depois eu.” Ciente de que tem uma mãe gata, Dudu – maneira como ela chama carinhosamente o filho – não esconde seu lado ciumento. “Ele tem ciúmes das fotos que posto, dos namorados, roupas e tudo mais. Já eu sou mais tranquila, apesar de ele nunca ter trazido uma namorada para dormir em casa, não vejo problema nenhum nisso, desde que o relacionamento já seja estável”, conta a bela, que uma vez ao ano faz uma viagem somente com ele.


Helena Lunardelli e Alice

Aos 32 anos, Helena Lunardelli conta que não se separava da sua boneca Paulinha quando era criança. “Lembro que cuidava dela como se fosse minha filha e meu sonho sempre foi ser mãe de uma menina.” Os anos se passaram e hoje ela se sente realizada ao lado da filha, Alice, 6 anos. “A maternidade nos ensina muito, aprendemos a ter mais paciência, menos ansiedade e entender que tem coisas que são além de nós”, resume a digital influencer do time Fhits – plataforma de influenciadores digitais de moda e lifestyle. Recém-casada com Eduardo Azevedo, ela conta que a boa relação entre ele e sua filha foi fundamental para o relacionamento dar certo. “Ele entende minha relação com a Alice e que ela vem sempre em primeiro lugar. E ele também pensa assim em relação aos três filhos dele”, conta Helena, que incluiu a filha em vários momentos dos preparativos do casamento. “Quando fomos experimentar o vestido de daminha, ela estava animadíssima de
uma maneira que vi poucas vezes na vida.”


Monica Salgado e Bernardo

Uma questão que sempre assombrou as mamães modernas é o eterno dilema de como conciliar trabalho e filhos. Com a jornalista Mônica Salgado não foi diferente. Casada com o cantor Afonso Nigro, Mônica vive na ponte aérea Rio-São Paulo por causa das gravações para o Vídeo Show. Como se não bastasse essa correria, ela dedica parte do seu tempo às parcerias de moda – acabou de lançar uma linha de bolsas pela Soleah e assinou contrato com uma marca de calçados. Mas, como mágica, ela faz as horas de seu dia se multiplicarem, tudo para acompanhar o dia a dia do filho Bernardo, 7 anos. “Sempre dá uma angústia de não conseguir ser tão presente quanto gostaria na vida dele, mas sempre dou um jeito. Hoje, consigo levar e pegar meu filho na escola, jantar às 20h com ele, tirar uma semana de férias do nada, no meio do ano, e fugir pra algum lugar”, conta Mônica, que acredita que não poderia passar por este mundo sem viver a experiência de ser mãe. Animada, amorosa, exigente e assumidamente cheia de regras, Mônica conta que o Facetime é seu melhor amigo para driblar a saudade do pequeno. “Minhas viagens duram no máximo dois dias e acabam sendo um respiro ótimo para dar saudades.”