Os planos do ator João Baldasserini, o Beto de Haja Coração

Aos 32 anos, João Baldasserini roubou a cena ao interpretar seu primeiro protagonista na televisão: o Beto de Haja Coração. Feliz com o sucesso e o reconhecimento do público, ele agora está pronto para alçar novos voos na TV, nos palcos e no cinema.

Por Malu Bonetto

joao1Nascido em Indaiatuba, interior de São Paulo, João Baldasserini, aos 17 anos de idade, não tinha muitas pretensões com relação à profissão e sentia-se feliz como empacotador num supermercado. Mas quando chegou a hora de cursar o terceiro colegial, a mãe o transferiu para um colégio particular a fim de que pudesse focar no vestibular para Direito. O que ela não imaginava é que ali ele seria “picado” pelo mosquito da dramaturgia. “As aulas de teatro eram aos sábados, e comecei a fazê-las sem pretensão alguma.Tanto que foi minha mãe que percebeu que eu chegava muito animado e logo me incentivou a prestar Artes Cênicas. Ou seja, ela foi, sim, a maior incentivadora do meu trabalho, percebeu meus olhos brilhando antes de todo mundo, até mesmo antes que eu”, lembra o ator, que brilhou na novela Haja Coração, da Rede Globo, e conquistou – de vez – o público e a crítica.

“Hoje estou mais seguro na minha profissão”

joao2Depois de estudar Artes Cênicas no Conservatório Dramático e Musical Doutor Carlos de Campos, em Tatuí, João Baldasserini – que era um rapaz tímido – passou a se expressar melhor graças às aulas de teatro. “O teatro me fez aprender a falar sim e não, a opinar, a ter vontade de me expor, mostrar quem sou e a ter voz ativa.”

Decidido a seguir a carreira nos palcos, João resolveu se mudar para São Paulo e estudar na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (USP) e, paralelamente, fazer um curso de Cinema no Stúdio Fátima Toledo. Os trabalhos foram aparecendo de maneira natural e ele chegou a se apresentar na Europa com uma peça da Companhia dos Satyros. “Para mim, eu já estava no auge da carreira quando veio o convite para ser o protagonista do longa-metragem Linha de Passe, do Walter Salles.”

Já morando no Rio para cursar a oficina de atores da Rede Globo, fez as novelas Tempos Modernos, O Astro, A Teia, Os Experientes, Felizes Para Sempre e A Regra do Jogo. Na TV fechada, participou da série Passionais e Surtadas na Yoga, do canal GNT, e Motel, na HBO. “Hoje estou mais seguro na minha profissão, trabalhando com frequência ,e acho que as pessoas estão confiando mais no meu trabalho, mesmo sendo uma carreira instável.”

E falando em carreira, João acabou de viver seu primeiro protagonista – o Beto da novela Haja Coração. No início da trama, ele era um rapaz mimado e mulherengo. Os capítulos foram se sucedendo, ele se apaixonou pela Tancinha, tramou muita coisa para conquistá-la e, no final, se arrependeu das falcatruas e abriu mão da sua paixão – desfecho esse que dividiu o público. “Claro que estava torcendo para que ela ficasse com o Beto, mas, mesmo assim, o final foi bonito. Acima de tudo, o Beto aprendeu muito com os próprios erros e amadureceu ao longo da trama, isso foi o mais importante.”

Apaixonado pelo trabalho, independentemente do personagem ser grande ou não, ele se derrete ao lembrar da repercussão do Beto. “O sucesso dele foi sentido na rua. As pessoas se divertiam com as investidas dele na Tancinha, mesmo não concordando com as atitudes. A novela mostrou bem a história de um rapaz que, apesar das dificuldades da vida, queria aprender, queria achar uma pessoa legal, mas, às vezes, não da maneira certa.”

“Sou assumidamente romântico”

joao3Se os telespectadores se afeiçoaram com o atrapalhado Beto, o ator também revela que irá guardar boas recordações desse personagem. “No início, achavam que estava interpretando muito bem o lado atrapalhado e agitado dele, mas eu também tenho isso, e a ansiedade dele. Só não tenho a mesma grana…”, diverte-se João. Outra semelhança dos dois é o fato de João também já ter sofrido por amor. Apesar de estar solteiro no momento, ele acredita que o amor muda e transforma as pessoas. “Sou assumidamente romântico e acho que quando o sentimento é sincero e com respeito, se você tiver retorno, é porque merece. Tive um relacionamento de três anos, não aceitei o término e queria que ela voltasse para mim. Corri muito atrás, ela não demonstrou interesse e precisei respeitar. Se hoje estou onde estou, é porque mereço e tive muito respeito com o outro.” Longe das telas há algum tempo, João conta que tem saudades de subir aos palcos, tem um projeto no cinema – do qual ainda não pode contar detalhes – e quer continuar contando boas histórias e dando vida a bons personagens.