Os encantos de Bruno Garcia

Bruno Garcia

Recentemente ele encantou a todas ao participar do quadro Truque Vip, do Domingão do Faustão,  e agora brilha no cinema no longa “O Caseiro”

Por Malu Bonetto

Bruno Garcia e elenco

Bruno Garcia e o elenco do filme “O Caseiro”

Nascido em Recife, Bruno Garcia, aos 18 anos, já encenava Hamlet, de William Shakespeare. Aos 21 anos, estreou na televisão com um pequeno papel na novela Felicidade, de Manoel Carlos, ao mesmo tempo que estava em cartaz com a peça Homem Objeto, baseada na obra de Luís Fernando Veríssimo, com direção de João Falcão. O sucesso da montagem foi tanto que se tornou um quadro do Fantástico, da Rede Globo, e deu origem ao programa Sexo Frágil, em 2003, também dirigido por João Falcão e protagonizado por Bruno, Lázaro Ramos, Lucio Mauro Filho e Wagner Moura. De lá para cá o ator, hoje com 45 anos, soma mais de dez novelas e dez minisséries, além de mais de 20 participações especiais em programas variados. No cinema, ele já trabalhou em mais de 20 filmes, entre eles O Auto da Compadecida, Lisbela e o Prisioneiro, Saneamento Básico – o Filme , De Pernas pro Ar 1 e 2 e, agora, O Caseiro.

Esse longa brasileiro, que mistura suspense e terror, conta a história de Davi (Bruno Garcia), um professor universitário cético e seguro de si, que escreveu um livro que explica com teorias da psicologia fenômenos de aparições de fantasmas e acredita que pode explicar tudo por meio da ciência.Um dia, a jovem Renata que vive com o pai (Leopoldo Pacheco) e as irmãs em uma chácara isolada, à beira de um lago o procura para pedir ajuda porque sua irmã mais nova, Júlia, tem tido visões e tanto o pai quanto a tia Nora têm certeza de que se trata do fantasma do caseiro que se matou na propriedade há mais de 30 anos. Desvendar este mistério é a tarefa de Davi, que vai se ver diante de vários desafios e provações. “Ele é um personagem delicioso. É um cara muito estranho. Aliás, todo mundo é estranho neste filme. A gente fica o tempo todo achando que vai sair alguma coisa de alguém, de algum lugar. Eu adoro mistério, adoro charadas. E, foi a primeira vez que li um roteiro e que senti medo, como se estivesse já dentro do filme”, comenta o ator, que se apaixonou tanto pelo projeto que decidiu se tornar produtor associado do filme. Com certeza um tipo de papel bem diferente do que estamos habituados a ver o Bruno. “Sou muito convocado a fazer humor, as pessoas tendem a me ver como um ator muito ligado a este gênero. E como consequência me chamam sempre para fazer papéis em comédias e isso vira um ciclo. Mas sempre aparece um diretor que tem um olhar mais amplo e surgem oportunidades como esta, um filme de terror que tem cores muito brasileiras. Somos um país muito místico, eu sou pernambucano e lá temos uma tradição forte de histórias fantásticas. Recife é uma cidade muito lúgubre, tem os casarões antigos, os Assombrações do Recife Velho (livro de Gilberto Freyre), muitas árvores centenárias, tem muitas histórias de fantasmas nos bairros à beira do rio. Este é mais um motivo para eu achar tão misterioso o fato de a gente filmar pouco este gênero.”

Sobre dividir a cena com Bianca Batista e Annalara Prates de apenas sete anos de idade e sem experiência prévia em cinema Bruno disse que tudo foi muito natural. Eu sou pai e tenho muita preocupação com isso. Hoje temos ótimos preparadores de elenco para esta faixa etária. Mas ainda, de vez em quando, a gente se depara em um projeto que tem crianças em que elas não são conduzidas adequadamente. É necessária uma energia extra para que o set fique adequado quando se trabalha com crianças. E em O Caseiro eu vi isso porque nos divertíamos muito ao mesmo tempo, me sentia trabalhando com duas atrizes profissionais. Gosto muito de atuar com crianças”, finaliza todo orgulhoso das meninas.