Os luxos de Manu Berger

Ela se formou em Direito e trabalhou como diretora financeira de um importante grupo empresarial no Brasil. Mas deixou tudo para trás e resolveu se dedicar ao mercado de consumo premium. Fundadora do Terapia do Luxo e autora do livro recém-lançado Entre Taças de Champagne e Cálices de Vinhos, Manu Berger fala sobre aquilo que mais entende: luxo, é claro!

Por: Cibele Carbone

Dona de traços de delicados e com jeitinho de menina, a catarinense Manuelle Berger, 31, é a prova de que existe, sim, espaço para delicadeza e feminilidade no mundo dos negócios de luxo. Depois de anos trabalhando como diretora financeira num poderoso grupo empresarial de seu estado, Manu – como é conhecida – largou tudo para ir em busca de realização pessoal e profissional: mergulhou de cabeça no mercado de luxo e estudou nos renomados Instituto Marangoni e Français de la Mode. “Quando voltei para o Brasil, meu conceito de luxo e de alto padrão já estava consolidado, e criei o Terapia do Luxo.” A empresa, que inicialmente começou como um portal de conteúdo, hoje atua em outras frentes, como consultoria para marcas do setor premium. Para compartilhar sua expertise no setor AAA, Manu tirou do papel mais um sonho e acaba de lançar o livro Entre Taças de Champagne e Cálices de Vinho. “Tanto do ponto de vista pessoal quanto profissional, o segmento de alto padrão tem um papel significativo em minha vida, e o livro foi uma forma de dividir com os leitores um pouco do conhecimento acumulado ao longo desses anos e alguns pontos de vista que movem minhas ações e permitem entender o setor de alto padrão como um nicho de mercado autêntico.” Em entrevista exclusiva a Go’Where Luxo, Manu fala sobre suas vivências nesse mundo cheio de glamour e mordomias.

GW: Hoje o Terapia do Luxo é muito mais do que um site e se tornou uma empresa que presta consultoria para marcas desse universo. Desde o início você já pensava em tirar a marca do mundo virtual?
MB: As mudanças aconteceram de forma natural. O mercado de luxo no Brasil ainda está em fase de consolidação. Atualmente, depois de muito estudo e análise, o Terapia do Luxo disponibiliza às organizações do setor premium nacional serviços personalizados que atendem a muitas das demandas das empresas da área.

GW: Que projetos desenvolveu em parceria com marcas de luxo?
MB: Cada parceria que fazemos é única, mas dois cases que marcaram nosso trabalho foram com a Cartier e a Zeiss. Com a Cartier, trabalhamos muito o relacionamento exclusivo da marca com clientes. Nosso primeiro evento foi um almoço para seis casais de empresários de alto padrão na boutique do Shopping Iguatemi, em São Paulo. Foi a primeira vez que a Cartier abriu a loja para convidados. Também elaboramos dois eventos da Cartier em Florianópolis: um jantar para oito casais e um brunch para 20 mulheres. Foi a primeira vez no Brasil que a marca saiu da cidade onde tem boutique e se deslocou para outro local. Para esse evento, trouxemos seis vitrines de Paris, onde foram expostas peças para os convidados. Também nas lojas. Com a Zeiss, trabalhamos exclusivamente a sofisticação do branding deles no Brasil. Criamos mais afinidade da marca com o mercado da moda, vinculando-os a grandes marcas de luxo.

GW: Existe diferença entre o que é considerado luxo aqui no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa?
MB: Acredito que sim. Isso se deve a várias questões e uma delas é o fato de o mercado de luxo no Brasil ser um segmento recente. Não faz muito tempo que as principais marcas do mundo perceberam a importância do mercado brasileiro. E o consumidor brasileiro ainda está definindo seu comportamento frente ao mercado e ao consumo de produtos de alto padrão. Por isso, ideias e valores sobre o que é luxo ainda são diferentes entre brasileiros e europeus ou norte-americanos.

GW: Que marcas considera símbolos do universo do luxo?
MB: Chanel e Hermès, sem dúvida. Como evolução da marca, Chanel foi revolucionária. Coco Chanel tornou-se um símbolo de revolução nos costumes e na postura da mulher no cenário social. Graças a ela, elegância e simplicidade foram transformadas em formas de sobrevivência. Chanel foi responsável por grande parte das principais mudanças no vestuário feminino do século 20, criando uma moda atemporal e elegante, até os dias de hoje. Já a Hermès é um sinônimo mundial de sofisticação. A marca se especializou em traduzir sua filosofia de trabalho e visão de mundo por meio de seus produtos. A Hermès é um ícone que representa o que há de melhor no universo do luxo com seus lenços de seda e bolsas de couro em formato de trapézio.

GW: Você viaja muito para acompanhar todas as tendências de luxo ao redor do mundo?
MB: Na maioria das minhas viagens, busco experiências que aliem sempre os dois lados: o de turista e o de especialista no setor de luxo. Mas, para ter uma visão ampla desse mercado repleto de sutilezas, é preciso muito estudo e leitura.

GW: Brincando com o nome do livro, você passa parte do seu dia entre taças de vinho e champagne. Existe algum momento em que deseja apenas um café com pão na chapa?
MB: Por trás das taças de champanhe e cálices de vinho existem muitas horas de trabalho ininterrupto, então a realidade é outra. Trabalhar nesse setor requer muito estudo e esforço para atendermos às demandas dos nossos clientes. Como mercado de luxo é um setor muito dinâmico, tenho que acompanhar esse universo de transformações sempre buscando a melhor estratégia para as empresas parceiras se destacarem no setor premium. Mas admito que prefiro uma coxinha com Coca-Cola…

GW: O tempo é o que temos de mais luxuoso hoje em dia?
MB: O tempo é realmente um dos mais valiosos bens de luxo de nossa época. Se pararmos para pensar, de que adianta ter uma conta bancária milionária, carros e imóveis, se você não tem momentos de alegria e felicidade para compartilhar ao lado daqueles que ama? O maior luxo é ser feliz e, para isso, você precisa encontrar tempo para trabalhar e conquistar seus objetivos – sem deixar de lado a família e aqueles que ama.


Os queridinhos de Manu Berger

Restaurante: Andrea’s, em Las Vegas. “Conheci esse restaurante na minha última viagem e foi paixão à primeira vista. Além de ter sobremesas fantásticas, o Andrea’s proporciona uma experiência de imersão em sabores, sons e serviços tipicamente asiáticos, mesclando o ambiente de restaurante com balada.”

Perfume: Chance, da Chanel. “O perfume é leve e ideal para usar no dia a dia.”

Joia: Coleção Amulette, da Cartier. “É uma coleção fascinante de joias que remetem à boa sorte. Delicadas, cada cor tem um significado. A minha joia é na cor preta e significa força. É um conjunto que nos faz sentir mais poderosas.”

Hotel: Myconian Utopia Resort, em Mykonos. “Eu me apaixonei por esse hotel. Ele consegue ser moderno e contemporâneo e realça toda a beleza natural da Grécia.”

Bolsa: 255, da Chanel. “Apesar de carregar muito estilo, é uma peça coringa que mistura traços clássicos e modernos. Ideal para qualquer ocasião.”

Sapato: Christian Louboutin. “É completamente um vício. Quando a marca ganha seu coração, é praticamente impossível pensar em outras.”