A São Paulo do futuro!

Parque da cidade – Arquivo Aflalo & Gasperini

Por Andressa D’Amato

Mudar, ousar, inovar. A maior cidade do país anseia por transformações e estas devem surpreender. Pois, como já dizia Oscar Niemeyer: “minha preocupação sempre é fazer uma coisa diferente, que provoque surpresa.” E, para deixar os moradores da cidade e turistas boquiabertos, ideias que ajudem a otimizar espaços são muito bem-vindas. Complexos residenciais e comerciais integrados, além de infraestrutura ao entorno acessível, estão cada vez mais presentes no cotidiano dos paulistas. E é impossível falar de mudanças e projetos que integrem trabalho, moradia e lazer sem citar o Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, de autoria do arquiteto David Libeskind – considerado bem futurista para a década de 50 -, e que hoje é espelho para os projetos atuais que visam esta junção, especificamente, o de melhorar o aproveitamento de ambientes. O que representava um futuro mais distante, agora já é realidade.

Divulgação

Contemporaneidade em alta
Nascida na capital, a arquiteta Fernanda Marques já começou a sua carreira ao lado de um mestre da arquitetura contemporânea: Jean Carlo Gasperini, do Aflalo & Gasperini Arquitetos (SP). Depois de seu estágio com o expert, abriu seu próprio escritório, Fernanda Marques Arquitetos e Associados, em 1990, que funciona como um canal para o seu trabalho multidisciplinar. Além da arquitetura e design de interiores, a empresa desenvolve projetos com conteúdo gráfico, auditivo e visual, integrando assim outros serviços, inclusive fora do país.

A contemporaneidade, como marca de seu trabalho, fica explicita quando apresenta os seus projetos. “Considero que a escolha dos acabamentos foi fundamental na criação da atmosfera de integração pretendida. Foi o uso coordenado de superfícies de mármores, tecidos em tons rebaixados e madeira em praticamente todos os ambientes que garantiu a sensação de continuidade visual”, opina. Para ela, a decoração limpa e desprovida de excessos de ornamentação colaborou neste sentido. “Em alguns casos, optamos por uma espécie de circulação ampliada para integrar dois ambientes. Como acontece, por exemplo, entre o living e o terraço, onde a transição entre os espaços é leve e natural”, comenta.

Foto: Gal Oppido

Luxo e alto padrão
O argentino Pablo Slemenson, fundador do grupo Pablo Slemenson Arquitetura (SP), é conhecido pela sua forte atuação no mercado de luxo. Prova disso, é o empreendimento Cidade Jardim, na capital paulista, que integra prédios residenciais e comerciais de alto padrão. Imagine estar a um elevador de distância de um spa completo, academia, restaurantes, salas de cinema, escritório e, ainda, ter acesso rápido a lojas de grife como Daslu, Chanel e Prada? É exatamente esta a proposta do complexo. Com nove torres de 25 andares cada uma, o empreendimento, que tem como destaque o Shopping Cidade Jardim, abriga mais de 350 apartamentos residenciais e, acredite, 90.000m2 de escritórios, o equivalente a 20 mil pessoas trabalhando em um mesmo lugar. “A referência era, como uso misto na cidade de São Paulo, o Conjunto Nacional, na Avenida Paulista – salvo as diferenças de localização e acesso-, e o Bal Harbour, na cidade de Miami, que é um shopping aberto com bastante jardim interno”, explica Pablo.

De acordo com o arquiteto, em 2004 o slogan era “morar, trabalhar e se divertir no mesmo espaço”. Se divertir ancorado em um shopping com muito verde, gastronomia, academia e spa. Em seguida, entrou forte o conceito de sustentabilidade, primeiramente entendida como economia de insumos não renováveis e com uma estética verde. A ideia foi evoluindo para uma maneira mais leve de se relacionar com a cidade e, consequentemente, de viver. “Participamos desde então de diversos outros projetos, dentro da malha urbana ou na região metropolitana de grandes cidades, implantando o conceito da integração dos usos”, fala.

A simpatia pela ideia foi tanta que Slemenson se mudou para o bairro dos Jardins, próximo ao seu escritório, que fica no Itaim Bibi. “Hoje vou a pé ou de bicicleta para o trabalho, pelo menos, três vezes por semana. Carro? Só aos finais de semana. Na chuva é muito mais divertido passear de guarda chuva, conversando ou ouvindo música do que parado no trânsito. Ainda, se estou sem pressa, aproveito para alguma ‘comprinha’ ou um café no caminho”, diverte-se.

F.L Faria Lima – Arquivo Aflalo & Gasperin

Urbanização e humanização juntos
Não há dúvida que morar próximo ao trabalho tornou-se uma necessidade imediata para quem procura qualidade de vida. “O plano diretor de São Paulo prevê o uso misto de edificações na cidade. Porém, nas regiões mais qualificadas, o uso de escritórios é o preferido pelos empreendedores para trazer mais recursos financeiros. Entretanto, a compra do potencial construído nos últimos dois anos tem se esgotado para este uso, levando as opções de construção para a área residencial em pelo menos 75% do lote”, afirma o arquiteto Felipe Aflalo, da empresa Aflalo & Gasperini Arquitetos.

Para o profissional, este impedimento é benéfico, já que vem trazendo uma importante contribuição para a cidade através de edificações mistas. “Regiões exclusivamente de escritórios têm um ciclo diário de ocupação, durante a noite estes imóveis estão vazios desfavorecendo o comércio e restaurantes, que se limitam a estes ciclos a ponto de inviabilizar outros recursos. E o residencial muitas vezes funciona ao contrário”, complementa.

Segundo Aflalo, este modelo de integração representa o futuro das grandes metrópoles, no entanto, para fomentar ainda mais o uso misto, o poder público deveria interferir mais na relação do valor de compra de potencial construtivo, favorecendo ainda mais o uso residencial, até que arquitetos, moradores e empreendedores, conscientes da vitalidade que isto agrega à cidade, pensem nos empreendimentos de maneira mais urbana e conectada. “Em relação aos nossos projetos mais importantes de 2012, destacam-se o ‘Parque da Cidade’ e ‘F.L Faria Lima’ por representarem muito do que acreditamos ser o ideal para cidade: espaços de uso misto, abertos ao público com praças e parques arborizados. Mais urbanização e humanização beneficiando também os vizinhos e a cidade”, conclui.

Serviço
Fernanda Marques
www.fernandamarques.com.br

Pablo Slemenson Arquitetura
Tel.: (11) 3168-2115

Aflalo e Gasperini Arquitetos
www.aflaloegasperini.com.br