Cuide muito bem do seu melhor amigo

Com que frequência você pratica atividade física e faz um check-up médico? O quanto você se preocupa com sua alimentação? Pois é, esses hábitos também são essenciais para os pets. Veja a seguir que cuidados você deve seguir para manter a saúde e o bem-estar do seu bichinho de estimação.

Por: Malu Bonetto

Exames e visitas periódicas ao veterinário

Nada mais triste do que ver seu pet desanimado pelos cantos da casa, certo? Para evitar que ele tenha uma indisposição ou até desenvolva alguma doença silenciosa, é importantíssimo levá-lo a cada seis meses ao veterinário. “Nesses exames periódicos, o profissional irá apalpar o bichinho e fazer diversos exames, como hemograma, ecocardiograma e ultrassonografia, para saber se ele está apto para ser vacinado e, claro, se está acometido por alguma doença renal, cardíaca ou periodontal que pode desencadear doenças mais graves”, alerta o veterinário Renato Flaquer, especializado em gastroenterologia e nefrologia, do Vetco Diagnóstico Veterinário.

Atividade física

Para a saúde canina, a atividade física, além de essencial, é a melhor forma de evitar doenças precoces, como os males de coração, diabetes e outros problemas agravados pela obesidade. Segundo Ana Claudia Tocci, proprietária do Club Pet Shop, os cães menores, que apresentam comportamento passivo, como os das raças Lhasa Apso, Shih Tzu e Maltês, uma caminhada de 15 a 30 minutos por dia pode ser sufi ciente. E, se o cachorro tiver menos de 18 meses, como os ossos ainda estão em formação e podem ser facilmente lesionados ou danificados, o ideal seria apenas um passeio leve, de 10 a 15 minutos de duas a três vezes por semana. Raças com nariz curto e achatado, como Pug, Bulldog e Boston, têm difi culdades de respirar durante os exercícios, principalmente em dias úmidos e muito quentes – então prefi ra os horários mais amenos. Já os de cães de grande porte precisam de mais atividade física para o fortalecimento das articulações e manutenção do peso.
As raças mais fortes, como Golden e Labrador, são hiperativos, precisam de longos passeios para gastar energias extras e adoram água.

“Natação é uma atividade que serve para gastar energia, manter o físico e perder peso, além de ser uma grande diversão. É indicada para animais que apresentam problemas ortopédicos e/ou pós-cirurgia, sendo sempre acompanhado por fisioterapeuta veterinário, não sendo adequada para raças com nariz curto”, explica Luciana Belotto, do Club Pet Shop, que sugere dar uma ducha ou um banho com xampu no pet após a natação, para que ele não tenha problemas dermatológicos, já que o pelo sofre com a umidade.

Escolha da Ração

A ração é um alimento completo e balanceado que oferece inúmeros benefícios que refletem diretamente na qualidade de vida, longevidade, bem-estar e saúde do gato e do cão. Na hora de escolher a mais indicada para o seu pet, Carolina Padovani, gerente de Comunicação Científica da Royal Canin Brasil, explica que é preciso saber qual a raça do cão ou do gato, pois cada uma apresenta particularidades metabólicas, morfológicas, sensibilidades e outras particularidades que são beneficiadas pela nutrição precisa. Os variados formatos de cabeça, mandíbula e maxilar determinam a necessidade de croquetes adaptados para facilitar a mastigação mais adequada do alimento. Já no tratamento do sobrepeso e da obesidade, a nutrição tem um importante papel, sendo indispensável o uso de alimentos coadjuvantes que auxiliem na perda de peso saudável e promovam a saciedade do animal. Ao contrário do que muitos acreditam, alimentos considerados “light” não são destinados para esse fim, pois apenas evitam o ganho de peso, não controlam com eficiência a saciedade e não resultam em um emagrecimento saudável. Cabe ressaltar que não devem ser oferecidos petiscos (ou fornecidos petiscos de baixíssimas calorias) e reforçar a importância do estímulo à atividade física do animal.

Livre de Pulgas

O uso de um antiparasitário evita que parasitas como pulgas, carrapatos e piolhos se instalem no pet. E, caso já estejam
no animal, pode inibir a ocorrência de alergias causadas pelos parasitas, além da transmissão de vermes e doenças potencialmente fatais. A leishmaniose canina, por exemplo, é uma doença com perigo potencial que ataca diversos órgãos, causando a morte do animal. “O Brasil concentra mais de 90% dos casos de leishmaniose da América Latina e, ainda assim, a população desconhece o risco. Apesar de ter tratamento, a doença traz diversos danos ao organismo do pet e do seu dono, muitos deles irreversíveis. Ou seja, prevenir é o caminho mais eficiente para garantir a saúde e o bem-estar”, alerta Sergio Schuler, Head da Saúde Animal da Bayer. Entre os métodos disponíveis para proteger os pets dos parasitas, há inseticidas e repelentes especializados.

O Seresto, fabricado pela Bayer, controla pulgas, carrapatos e piolhos, e reduz o risco de doenças transmitidas por vetores, inclusive a leishmaniose. Indicado para cães com mais de sete semanas de idade e gatos a partir de 10 semanas, tem um exclusivo sistema de liberação controlada de imidacloprida e flumetrina, ativos que garantem a proteção de cães e gatos por até oito meses, de forma muito segura para os pets, a família e o meio ambiente. E o melhor: age antes de o parasita picar o pet. A coleira deve ser ajustada de forma correta para que fique em contato com a pele e os pelos do animal e ocorra a correta liberação dos ativos. “Como os ativos não são liberados em meio aquoso, o pet. A coleira deve ser ajustada de forma correta para que fique em contato com a pele e os pelos do animal e ocorra a correta liberação dos ativos. “Como os ativos não são liberados em meio aquoso,o animal pode nadar e tomar chuva sem problemas. Mas, claro, como qualquer tratamento, ele deve ser supervisionado por um médico veterinário”, diz Ana Lúcia Senatore Rivera, Gerente de Negócios da unidade de Animais de Companhia da Bayer.

Escolha a raça que combina com seu estilo de vida

Antes de levar seu animalzinho para casa, tenha certeza de que estará disposto a cuidar bem dele, já que o pet será um membro da família pelos próximos dez anos, no mínimo. Segundo Tania Improta, proprietária do Canil Ziri Ziri, uma boa opção é se informar sobre a raça que deseja ter e conversar com o proprietário do canil – que deve ser associado ao Kenel Clube, responsável por organizar e regulamentar a criação de cães de todas as raças no Brasil. O galgo italiano, uma das raças queridinhas do momento, é ótima companhia para as pessoas que passam boa parte do dia em casa, já que esse cão gosta de estar entre humanos e, de preferência, com seu tutor, já que é extremamente apegado ao dono. Eles também são muito amáveis e higiênicos, não soltam pelos e não costumam latir. São alegres e muito carismáticos. “Como eles adoram tomar sol, é preciso monitorar a quantidade de sol diária, pois é um cão praticamente sem pelos e, em dias mais frios, adoram usar roupinhas e dormir em um edredom quentinho”, diz Tania Improta. É um cão de fácil cuidado, mas que precisa de uma dieta saudável de acordo com o grau de atividade. Por ser um cão velocista, é necessário monitorar esses momentos de atividade para evitar um possível acidente que pode resultar em fraturas. E, por terem grande propensão ao tártaro, é necessária a escovação dos dentes pelo menos três vezes por semana.


RAÇÃO

Pets de pequeno porte são preferência entre os brasileiros

Apartamentos menores e uma rotina agitada são alguns dos motivos que fazem com que as pessoas optem, cada vez mais, por cachorros pequenos e/ou gatos.

Só quem tem um bichinho de estimação em casa sabe o quanto é bom chegar, depois de um dia cansativo, e lá estar ele te esperando todo contente. Sabemos que os pets precisam de atenção e que, com a correria diária, esse tempo fica cada vez mais escasso, mas nem por isso as pessoas estão abrindo mão do seu animal de estimação, pelo contrário: segundo dados do IBGE, há 22 milhões de felinos domésticos no Brasil e 52,2 milhões de cães. Já uma pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência, a pedido do Instituto de Pesquisa Waltham®, mostrou que 49% dos entrevistados têm um cão pequeno e que 94% dos donos de gatos optam pela ração seca, 69% pela úmida enquanto 95% dos donos de cães preferem oferecer alimentação seca. Mas o fato de ter um cão pequeno ou um gato não significa que os cuidados devem ser menores.

Os cães que têm até 10 kg, quando adultos possuem um apetite caprichoso, tendência à constipação, cálculo na bexiga e formação de tártaro. Já os gatos têm sensibilidade gastrintestinal, tendência à formação de bolas de pelo e quando castrados requerem cuidados específicos para não terem muito ganho de peso. “Oferecer alimentos que considerem as diferenças entre os pets é fundamental para manter a qualidade de vida e a longevidade. Abordar e atender as particularidades dos cães pequenos e dos gatos de forma intencional na formulação do alimento trará benefícios adicionais contribuindo com a saúde e o bem-estar”, afirma Luciana Peruca, Coordenadora de Comunicação Científica da Royal Canin® Brasil. Justamente por isso, o mercado de ração está cada vez mais desenvolvido, com opções nutricionais individualizadas para o pet.

Mini Indoor Adult: Indicada para cães com mais de 10 meses e que vivem em ambientes internos. Ajuda a reduzir o odor e o volume das fezes e promove uma boa digestão. A linha completa conta também com o alimento para filhote e para as duas fases de envelhecimento do cão.

Sterilised: Ideal para gatos adultos (acima de um ano) castrados. Limita o ganho de peso e ajuda a manter a saúde do sistema urinário do felino. A linha completa conta também com alimentos para filhote e para as duas fases de envelhecimento do gato.


PETS

De olho na alimentação do seu pet

Quem resiste a um cachorrinho ou gatinho olhando para você com aquela carinha de “pidonho” enquanto você se alimenta.

Sabe aquela frase que você é o que você come? Pois com nossos pets não é (e nem deve ser!) diferente. Aqueles quitutes ou petiscos que, aparentemente, são inofensivos são os principais causadores dos problemas hormonais e gastrointestinais que estão cada vez mais comuns. “Assim como os humanos, os pets também desenvolvem a diabete, quando obesos, e doenças alérgicas como dermatite, quando há o excesso ou déficit de alguma vitamina. Justamente por isso, é muito frequente eles terem crises de diarreia e vômito, mesmo porque há a hiper-sensibilização da mucosa e, o organismo começa a rejeitar certos ingredientes ,levando a problemas como gastrite, úlcera e pancreatite”, alerta o veterinário Renato Flaquer, especializa-do em gastroenterologia e nefrologia.

Vetco Diagnóstico Veterinário – www.vetco.vet.br

Prevenir ainda é o melhor remédio

Se o seu bichinho está com vômito, regurgitação, diarreia ou fezes amolecidas, dor abdominal, alteração na cor da urina, perda de apetite ou aumento da ingestão de comida, perda ou ganho de peso e aumento da ingestão de líquido, saiba que ele pode estar com mau funcionamento do esôfago, estômago, intestino, fígado, pâncreas e das vias biliares.
“Muitas vezes, as doenças relacionadas ao trato gastrointestinal são subestimadas e tratadas inicialmente com pouca efetividade, levando a um comprometimento importante da saúde do animal. Portanto, em caso de suspeita de doenças nesse sistema, procure um gastroenterologista”, alerta Dr. Renato Flaquer.


Restaurantes bons pra cachorro!

Apaixonados por animais de estimação sabem o quanto é difícil deixá-los sozinhos em casa. A boa notícia é que muitos restaurantes já oferecem áreas exclusivas para os pets – alguns até servem petiscos próprios para eles –, permitindo aos clientes que levem os bichinhos para “comer fora” também. Por: Malu Bonetto

Le Vin Bistrô

Localizado em um bairro residencial, com uma grande quantidade de moradores que possuem cachorros, a unidade Jardins do Le Vin oferece, desde 2005, mesas na calçada em frente ao bistrô, onde os clientes podem sentar-se para apreciar as delícias da casa – como o filé ao poivre – ao lado do seu pet. E os bichinhos de estimação também recebem atenção especial nesse bistrô – que oferece água fresca potável e, se o dono levar a ração, vasilha para colocar a comidinha.

Le Vin Jardins: Alameda Tietê, 184 – Jardins

Coco Bambu

Os sócios da unidade Coco Bambu JK têm animais de estimação e sentiam necessidade de um local em que pudessem levar seus pets quando saíam para uma refeição gostosa. Nada mais justo do que levar essa ideia para a unidade do Coco Bambu na Vila Nova Conceição. Desde 2016, a casa, que tem como especialidade os frutos do mar em porções enormes, conta com uma varanda superagradável na entrada do restaurante, onde é possível dar água e biscoitos aos pets.

Av. Antônio Joaquim de Moura Andrade, 737 – Vila Nova Conceição

Serafina Restaurante Italiano

Seguindo a tendência das unidades de Nova York, as duas filiais brasileiras do Serafina permitem animais nas suas varandas. Além disso, os responsáveis pelas casas acreditam que os animais contribuem para o bem-estar de seus donos, pois promovem uma interação e descontração do ambiente. Para que os pets se sintam em casa, o restaurante oferece vasilhas para água e ração.

Rua Pedroso Alvarenga, 1051 Itaim Bibi
Alameda Lorena, 1705 – Jardins

Paris 6

Charmoso e com uma atmosfera bem intimista, Paris 6 é um dos restaurantes mais disputados de São Paulo. Boa parte da clientela encara a fila de espera para degustar pratos elaborados (e batizados!) em parcerias com celebridades, como
é o caso do Crevettes à Bruno Gagliasso (trio grelhado de camarões rosa sobre arroz provençal com champignons, tomate concassê e redução de manteiga ao vinho branco) ou Carré de Bouef à Ivete Sangalo (cubos de filé salteados no azeite de alho, arroz branco, farofa com bacon, feijão-carioca, banana à milanesa e dois ovos fritos). Mas o que também cativou o público é o fato de a casa receber muito bem os pets dos seus clientes na charmosa varanda da unidade Classique. Mas, atenção: lembre-se de levar as vasilhas para água e comida do seu pet, já que o local não tem recipientes específicos para eles.

Rua Haddock Lobo, 1240 – Jardins


Os dos queridinhos brasileiros 

Que os brasileiros são apaixonados pelos pets não é novidade. Tanto que, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no ano passado havia mais de 50 milhões de cães e 22 milhões de gatos de estimação no País. Confira as raças que são hoje as queridinhas dos brasileiros.

Golden Retriever

São excelentes cães de companhia, amigáveis, afetuosos, confiáveis, dóceis e muito apegados aos integrantes da família.

Bulldog Inglês

A raça é originária da Inglaterra, como o próprio nome já diz, e tem o temperamento calmo, companheiro. Adoram brincar, apesar da força que têm.

Spitz Alemão

Também conhecido como Lulu da Pomerânia, tem temperamento agitado, dócil e companheiro.

Pug

Excelentes cães de companhia, têm um comportamento gentil, dócil, amistoso e, ao mesmo tempo, valente.

Galgo

Extremamente apegados aos donos, são amáveis, não soltam pelos e não costumam latir.

Chihuahua

A menor raça do mundo, muito conhecida pelo latido fino, tem um temperamento dócil – porém, quando provocados, tornam-se nervosos e irritados.

Chinese Crested

Chamado no Brasil de “cão de crista chinês”, tem como sua principal característica a ausência de pelo em quase todo o corpo. É uma raça alegre, cheia de energia e brincalhona.

Persa

Com sua pelagem longa, possui temperamento tranquilo e é amável. Eles são ótimos para pessoas que têm outros pets, crianças ou que são donos, pela primeira vez, de um felino.

Sphynx

Exótica e diferente, a raça também conhecida como Pelado Canadense, ou Gato do Faraó, apresenta ausência de pelos, olhos grandes. Não possuem bigodes. São extremamente dóceis e apegados aos donos, adoram carinho.

Maine Coon

Também conhecido como o Gato Gigante, chega a pesar até 13 kg e tem porte semelhante ao de um poodle médio. São brincalhões, ativos, companheiros e amigáveis.


Concierge de pets

Você pede alguma mordomia para seu bichinho de estimação e eles realizam. Pode ser a indicação de um pet shop com tratamentos estéticos ou até um hotel em Paris que também receba o pet durante as férias dos donos. Confira a seguir como funciona o novo serviço do mercado de luxo que tem atraído cada vez mais adeptos.

Por: Cibele Carbone

Quem não cuida do pet com todo o carinho e o enche de mimos que atire o primeiro ossinho. “Quem cuida de um pet cuida como se fosse realmente um filho”, lembra Marcia Primo Costa, fundadora da Bespoke Life, empresa de Conciergerie e Gestão de Estilo de Vida. Atualmente, os brasileiros possuem mais de 132 milhões de pets, que movimentam um mercado gigante de produtos e serviços para a saúde e o bem-estar dos bichinhos, que vai de ração e roupinhas a tratamentos estéticos e comidinhas gourmet. Diante de tanta oferta, muita gente ainda não sabe onde e nem como conseguir o melhor para seu animal de estimação. E é justamente para atender a esse público que a Bespoke Life desenvolveu o serviço de conciergerie específico para pets – e já conta com mais de 170 fornecedores homologados e testados, dentro e fora do Brasil. “Clientes que viajam com seus pets precisam de ajuda, quem vai viajar e não pode levar seus pets também. Então temos um rol de empresas e pessoas que podem ser muito úteis em várias situações”, revela Marcia, que revela mais detalhes sobre esse novo tipo de conciergerie na entrevista a seguir.

GW: De onde surgiu a ideia de oferecer um serviço de conciergerie voltado para o universo dos pets?
MP: Na verdade, o mercado pet, assim como os outros que atendemos, surgiu com a demanda dos clientes, logo no começo da empresa – quando visitamos os primeiros clientes para organizar a casa, e muitos tinham pets, mas não tinham tempo para ir em busca de serviços de qualidade. Então, começamos a buscar fornecedores e testar serviços para homologá-los e poder indicá-los. A demanda, com isso, só cresceu.

GW: Como funciona essa conciergerie?
MP: Como os outros serviços, trabalhamos por demanda. Podemos apenas indicar fornecedores ou podemos, se for o caso, acompanhar o cliente até o local que indicamos ou o fornecedor até a casa do cliente, já que a maioria prefere que os serviços sejam prestados na própria residência.

GW: Quais os pedidos mais comuns que fazem para vocês?
MP: Normalmente, o que acontece é que o cliente de conciergerie, ou seja, do serviço de gestão de estilo de vida, tem pouco tempo. Então, acabamos ajudando nas necessidades básicas, como banho, tosa, indicação de produtos especializados, passeio.

GW: Teve algum pedido que em princípio não seria possível realizar?
MP: Um dos pedidos que mais demandou tempo e trabalho foi o transporte de um cão de grande porte do Brasil para os Estados Unidos, onde a cliente foi morar. Nós fizemos todos os trâmites, acionamos os órgãos competentes e os profissionais que possam realizar o transporte com segurança.

GW: A maioria das pessoas pensa que somente o público feminino enche os pets de mimos e luxos…
MP: Isso é um mito. Homens e mulheres tratam seus pets da mesma forma – cuidam e gostam de ter os melhores serviços e produtos, especialmente se são pessoas sozinhas ou casais sem filhos.

GW: Quando se trata do universo pet, há algum limite para os mimos?
MP: O limite é a imaginação, o desejo e, claro, as possibilidades de cada cliente. Hoje em dia, há todo tipo de serviço e produto, inclusive de alto luxo, para esse mercado.

GW: Como escolhem os locais e serviços que indicam?
MP: Como todo fornecedor, pesquisamos, buscamos indicações, testamos e só depois indicamos ou usamos os serviços para nossos clientes. Temos um controle de qualidade super-rígido, até porque nossos clientes são extremamente exigentes.

De férias com o pet

Quem disse que é preciso deixar o animal de estimação para trás quando viajar de férias? Um dos serviços mais procurados na Be Spoke é a indicação de hotéis pet-friendly, feita juntamente com a Selections, empresa parceira para logística de todas as viagens de clientes. Veja abaixo os cinco locais mais bacanas para você se hospedar junto com seu pet:

Unique Garden em Mairiporã (SP): A partir dos seis meses de idade, o bichinho de estimação é recebido no hotel. Espaços especiais, como um playground, e mimos diferenciados estão disponíveis para os bichinhos, que podem fi car no chalé com o hóspede. Eles oferecem um pet kit com comedouro, bebedouro, cama e brinquedos.

Lake Villas, em Amparo (SP): O hotel recebe os pets de pequeno porte (até 8 kg). Eles oferecem cama, bebedouro, comedouro, fralda (pequena), tapete higiênico e saco coletor durante a estadia.

Four Seasons Hotel George V, em Paris: aceita animais de pequeno porte e oferece caminha, mantas, potes para água e ração. O hotel ainda oferece o serviço de dog sitter para entreter o animal enquanto o hóspede estiver passeando.

The Ritz-Carlton Bachelor Gulch, em Beaver Creek (EUA): Foi um dos primeiros a oferecer mimos e casinhas para cachorros. Cobra uma taxa a partir de US$125 para até dois cachorros, para as três primeiras noites. A partir da quarta noite, o valor diminui.

Hotel Fasano Boa Vista, Porto Feliz (SP): Localizado na fazenda Boa Vista, eles providenciam tapetes higiênicos e comedores exclusivos, mas só aceitam cães e gatos de até 7 kg. No hotel, os pets podem circular apenas com a coleira, e o acesso não é permitido no restaurante, na piscina e no spa.