Rádio Jovem Pan – Paixão pela notícia
27 de agosto de 2010
A bolsa é a vida
30 de agosto de 2010
Show all

Os novos tons da Casa Cor

Arte em primeiro lugar
Pela terceira vez na Casa Cor, a decoradora Maria Fernanda Corrêa, a Piti, apresenta um ambiente onde qualquer marchand apaixonado por arte se sentiria em casa. À primeira vista, o que chama atenção é o painel de quatro metros de largura com o infográfico Orgia Romana,de Caio Guatelli (vencedor do 30º Prêmio Abril de Jornalismo). Outra tendência apontada por Piti são os coloridos tapetes holandeses da T. Bowles Tapetes e Arte, que são mania na Europa e chegam agora ao Brasil. Para que as obras ganhassem destaque,Piti investiu na neutralidade dos móveise a parede lateral ganhou um tom de cinza lilás. O projeto de iluminação lembra muito a dos museus e galerias de arte, o que permite ao marchand iluminar ainda mais sua coleção.
Além de um espaço para leitura
Em homenagem a José Mindlin, célebre bibliógrafo brasileiro falecido em fevereiro, a dupla de arquitetos Ricardo Caminada e AnaMaria Bogar desenvolveu um projeto que vai além de um espaço para organizar livros. Em uma atmosfera descontraída, a biblioteca residencialvaloriza o ambiente como área de convivência familiar, descanso e também como home office. Os tons de cinza nas paredes ajudam a manter a concentração, enquanto o rosaqueimado traz um ar de relaxamento. A flexibilidade do projeto de iluminação é outro detalhe que vale destacar. Os arquitetos deram preferência a valorizar a luz sobre a mesa e as lumináriasno estilo pinça destacam as prateleiras. Por falar nisso, o mobiliário desenhado por Ricardo e Ana Maria é o grande diferencial dabiblioteca. As estantes no estilo nichos modulares, as cadeiras e os estofados garantem a mobilidade ao espaço, que proporcionamomentos de lazer na companhia de amigos ou de um bom livro.
Skatista, mas sem ser óbvio
Nada de pista de skate ou paredes grafitadas. O designer de interiores Moreno quis fugir do senso comum em seu projeto em homenagem a Sandro Dias, pentacampeão mundial deskate vertical. Na Casa Cor, ele apresenta um espaço que tem a evolução humana como pano de fundo. Moreno se inspirou na figura do macaco para dar ao ambiente o clima árido,obtido graças aos diferentes tons de marrom, que estão presentes na cabeceira da cama e nas cortinas em tie die. Para representar a velocidade, presente no dia a diado atleta, Moreno utilizou formas diagonais no forro de gesso e os espelhos em formato de grandes estilhaços, que transmitem a agressividadee a coragem necessárias para encarar as manobras mais radicais. O toque de suavidade do ambiente está nas paredes em tonsde verde petróleo e no tapete-vão, desenho do designer. Sobretudo, Moreno pensou em um espaço de descanso para o atleta.
África sustentável
Pela segunda vez na Casa Cor, o designer de interiores Fábio Galeazzo apresenta um terraço gourmet que teve como inspiração a África contemporânea.Dividido em dois ambientes, cozinha e área de relax, o espaço segue o conceito luxo sustentável – uma marca registrada do designer. A lareira revestida em pedra sabão e pastilhas de ouro importadas da Itália convive em plena harmonia com aparede de bambu sustentável. Já na ala gourmet, chama atenção o contraponto dos móveis de demolição com as estações de aço projetadas por Claudio Boffi. Umatendência apontada pelo designer é a bancada de jardinagem. Em madeira de demolição, a mesa é dividida em compartimentos para guardar ferramentas, terra,argila compactada e adubo. As obras de arte presentes em nichos de madeira e o tapete persa com tema tribal contemporâneo são apenas alguns elementos que remetem ao continente africano.
Atmosfera retrô
A dupla de arquitetos Saulo Szabó e Fernando Oliveira apresenta um ambiente especialmente projetado para aquele tipo de designer que adoragarimpar móveis antigos no ferro velho e transformálos em peças que esbanjam charme e personalidade. O espaço de apenas 10 metros quadrados ganhouuma atmosfera retrô graças aos móveis desenhados por Saulo e Fernando para a marca HÁZ Design. Do ambiente, vale destacar um portão enferrujadoda década de 70 adquirido em um ferro velho, que ganhou vida graças à tinta azul esverdeada, além da estante iluminada com led e composta de nichos de acrílico. Na área de trabalho, chama atenção abancada feita com madeira de demolição. Porém a mesa lateral promete virar mania entre os fãs da década de 80. A peça não somente lembra o cubomágico como também gira e abre 30 gavetinhas.

Acolhedor e contemporâneo
Inspirado em um jovem casal cosmopolita e apaixonado por peças de design e obras de arte, o arquiteto e designer Gustavo Motta expõe nesta edição do evento um projeto contemporâneo, marcado pelo equilíbrio entre os materiais e com um mobiliário que é uma verdadeira obra de arte. Entre os objetos, roubam a cena a poltrona voltair assinada pelo célebre arquiteto Sergio Rodrigues (criador da Oca, no Parque do Ibirapuera), a escrivaninha com o mapa de Paris no tampo, a cadeira assinada pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha e a luminária Diesel. A ausência de divisões entre os ambientes traz amplitude ao espaço. Porém, o loft não deixa de ser aconchegante. O piso de madeira e o tapete do designer Jan Kath garantem o ar acolhedor do ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =